Ivan Kwiatkowski é um especialista em segurança que resolveu dar o troco em cibercriminosos. A história, relatada pela BBC, mostra ao mesmo o quão perigosa é a atividade de crackers — e também o quão prazerosa pode ser uma resposta à altura se você entender do assunto.

De acordo com a BBC, Ivan chegou em casa certo dia e descobriu que os próprios pais estava sofrendo uma tentativa de golpe feito por hackers. Os cibercriminosos utilizaram o velho golpe do "suporte técnico", que busca ludibriar o usuário ao alertar que o computador está com problemas.

Caso o usuário acredite, os crackers forçam a venda de softwares caros e inúteis. Novamente, se a compra for realizada, esses programas têm a capacidade de roubar os dados do computador infectado, como informações bancárias, por exemplo.

Os crackers usaram um scareware

Assim que Ivan descobriu que os pais receberam o alerta de problemas, ele ligou para um número telefônico no "aviso" fingindo que "caiu no golpe". De acordo com a BBC, "o assistente que atendeu o telefone tentou assustá-lo, abusando de jargões técnicos e vocabulário sem sentido". Ainda, ele recomendou que Ivan comprasse um pacote de proteção para o computador por 300 euros, mais de R$ 1,1 mil em conversão direta.

Foi depois deste ponto que o especialista em segurança resolveu dar o troco.

Malandramente

Ivan pegou diversos números falsos de cartão de crédito e, então, começou a gastar o tempo dos crackers. "Eu disse ao assistente que iria comprar o pacote, mas não conseguia distinguir claramente os números no meu cartão de crédito. Então falei que mandaria uma foto", disse.

Acontece que nenhuma foto foi enviada, e o arquivo que Ivan enviou aos cibercriminosos era um vírus disfarçado de imagem. No caso, um ransomware — um vírus que sequestra a máquina infectada, criptografa os arquivos e só libera o conteúdo mediante pagamento.

O ransomware pede um resgate de até US$ 420

"O assistente falso não disse nada por um curto período de tempo, e então falou: 'Eu tentei abrir sua foto, mas nada acontece.' Fiz força para não cair na gargalhada", comentou Kwiatkowski.

Se o ataque teve sucesso, Ivan disse que ainda não tem certeza: "O atendente não deixou transparecer que algo tinha acontecido no computador, por isso a minha tentativa é melhor representada como uma morte não confirmada". O especialista também disse que o ransomware enviado pede um resgate que pode chegar até US$ 420, cerca de R$ 1,4 mil.

No final da história, Ivan disse que ainda conversou mais um tempo com o cracker enquanto "um processo de segundo plano estava criptografando silenciosamente" o PC do golpista.

Alerta mostrado por Ivan

É importante se proteger

O tipo de "scam" usado pelos crackers com os pais de Ivan se chama "scareware". Que nada mais é do que softwares que induzem o medo no usuário — algo como o "golpe do sequestro", realizado por criminosos via telefone.

Por isso, antes de tomar qualquer atitude que seja necessário registrar email, telefone ou dados, desconfie. Evite abrir links ou anexos de desconhecidos e sempre fique ligado nesta página para saber mais dicas sobre segurança.

Cupons de desconto TecMundo: