O astrobiólogo Amri Wandel tem uma boa e uma má notícia sobre estarmos ou não sozinhos no universo. Em seu mais recente estudo, ele estima que provavelmente há "de milhões a bilhões de planetas bióticos na Via Láctea", o que significa a existência de vida lá fora. Um planeta com condições de abrigar organismos estaria de 10 a 100 anos-luz daqui.

Por outro lado, ele resumiu o estudo a planetas do tamanho da Terra e com uma temperatura propícia para a evolução de organismos que existam em nosso planeta. Além de ser tão específico, ele só trabalha com a possibilidade, sem probabilidade — ou seja, a vida está apta a ser desenvolvida nesses locais, mas se ela existe é outra história.

E nem adianta encontrar só vida: uma civilização inteligente e plena talvez só possa ser encontrada a milhares de anos-luz daqui, o que praticamente zera as nossas chances de contato por causa da tecnologia de hoje — ao menos partindo dos terráqueos, claro.

Para fazer o estudo, Wandel partiu de um dos pressupostos da equação de Drake, um cálculo que tenta prever matematicamente onde existiria vida no universo. Ele combinou essa fórmula com dados do telescópio espacial Kepler, da NASA, especializado em "descobrir" planetas potencialmente habitáveis.

O artigo científico completo é bastante complexo, mas os mais desbravadores podem acessá-lo por este link (em inglês).

Cupons de desconto TecMundo: