Formato dos canais pode indicar erosão provocada por líquidos (Fonte da imagem: Reprodução/BBC)

Durante os meses em que a sonda Dawn orbitou o asteroide Vesta, capturando imagens em alta definição a uma altura de 210 km, ela acabou revelando diversos detalhes para os cientistas interessados. E apesar de a sonda já ter concluído sua missão, pesquisadores da NASA ainda trabalham em cima dos dados coletados pela nave.

Uma das novidades mais recentes sobre Vesta é a presença de canais que podem indicar que, um dia, o asteroide teve água em estado líquido correndo em sua superfície.

De acordo com artigo publicado no site SlashGear, essa seria uma descoberta muito incomum, visto que a ausência de atmosfera faria com que a água fervesse e evaporasse rapidamente. Os canais foram descobertos na parede de determinadas crateras do Vesta, mas os cientistas terão que investigar outros detalhes antes de afirmar que essas marcas foram deixadas por água.

De acordo com a cientista Jennifer Scully, da Universidade da Califórnia, os pesquisadores normalmente conseguem diferenciar a origem de canais como esses com base em algumas características dessas formações. Na maioria dos casos, esses “caminhos” são formados por solo ou rochas que desmoronam, mas no caso de erosão provocada por líquido, esses costumam ser mais longos, mais estreitos e interlaçados, ou seja, formando uma espécie de rede.

Cupons de desconto TecMundo: