O Uber é um aplicativo polêmico: tendo aterrissado em agosto no Brasil, o serviço prometia abalar profundamente o setor de táxis em nosso país. Para quem não conhece, esse app permite que qualquer motorista atue como um taxista durante o seu tempo livre, podendo arrecadar uma grana e ajudar aquelas daquelas pessoas que precisam se locomover de um lugar para outro.

No Brasil, a polêmica começa pelo fato de não ser permita sua utilização para o fim ao qual ele se destina. De acordo com a legislação do nosso país, apenas taxistas devidamente registrados e com alvará podem angariar fundos transportando civis em seu próprio veículo automotor (Lei Nº 12.468 de 26 de agosto de 2011). Em São Paulo, o Uber já causou apreensão de carros por causa das “caronas pagas”.

Banido na Espanha

Porém, não é só no Brasil que o aplicativo causa polêmica. Na Espanha, o serviço de táxis Madrid Taxi Association entrou com uma ação que forçou a proibição de uso do Uber naquele país.

O motivo é, basicamente, o mesmo: o app tem atrapalhado o rendimento dos motoristas profissionais por causa da concorrência. Por conta disso, taxistas têm protestado com violência para extinguir o Uber do país europeu.

Banido em partes dos Estados Unidos

A proibição de uso do aplicativo também chegou aos Estados Unidos, terra natal do próprio Uber. Em Nevada, estado cuja “estrela mais brilhante” é a famosa cidade de Las Vegas, a corte local decidiu de maneira preliminar banir o uso do app naquele território.

Situação parecida aconteceu em Portland, cidade do estado de Oregon. A alegação daqueles que estão contra o Uber, neste caso, faz referência à falta de segurança que os passageiros têm ao contratar as “caronas pagas”. Como veremos a seguir, isso faz sentido.

Banido em Nova Deli, Índia

Este é, sem dúvida, o caso mais grave que já aconteceu envovlendo o Uber até agora. Segundo relatos do chefe do transporte local de Nova Deli, capital da Índia, uma mulher foi violentada pelo motorista contratado através do aplicativo.

Por conta disso, o app está impedido de funcionar na capital indiana por tempo indeterminado. Travis Kalnick, CEO do Uber, disse que a companhia vai fazer de tudo para apoiar a vítima e trazer à justiça o criminoso.

Pelo visto, os casos de polêmica envolvendo o Uber estão longe de ter um fim. O que será que o futuro reserva para esse aplicativo?

Cupons de desconto TecMundo: