Mais um processo foi aberto contra a Apple. Desta vez, a fabricante sueca Ericsson foi quem acionou a Justiça por supostas quebras de patente. É que a Maçã teria usado a tecnologia da empresa concorrente em seus smartphones e tablets mesmo após o vencimento das licenças contratadas. A nova ação judicial é uma resposta da Ericsson à Apple – também neste mês, a marca sueca foi processada pela companhia fundada por Steve Jobs.

Ambas as empresas mantinham um acordo para o uso de patentes. Mas, apesar das tentativas recentes de renegociação, nenhum contrato acabou por ser renovado. “Acreditamos que é razoável termos uma compensação justa de empresas beneficiadas pelo desenvolvimento dos nossos últimos 30 anos em tecnologia”, comentou Kasim Alfalahi, vice-presidente de propriedade intelectual da Ericsson.

“Com milhares de empregados inovadores, a Apple tem um profundo respeito pela propriedade intelectual. Sempre estivemos dispostos a pagar um preço adequado para garantir direitos e patentes fundamentais das tecnologias usadas em nossos produtos”, informou a Maçã. Dadas as condições desfavoráveis a uma nova negociação, os tribunais tiveram então de ser acionados.

Nessa segunda-feira (12), a Apple entrou com um processo contra a Ericsson alegando que a tecnologia LTE não é essencial para os padrões da indústria de dispositivos móveis da atualidade e que a cobrança de royalties feita é “excessiva”. Vale lembrar que, em 2013, a Samsung teve de pagar US$ 650 milhões à Ericsson para que as condições de uso de royalties fossem regularizadas.

Cupons de desconto TecMundo: