A Apple finalmente oficializou a compra da Beats pelo bilionário valor de US$ 3 bilhões. A negociação já estava sendo articulada desde o último dia 8, quando o veículo The Financial Times, consagrado no mercado financeiro, apurou a informação.

A companhia de Steve Jobs, agora sob a batuta do CEO Tim Cook, adquiriu tanto a Beats Music quanto a Beats Electronics, numa aquisição que consistiu em US$ 2,6 bilhões de cara e US$ 400 milhões fracionados nos próximos meses.

“A Beats sempre pertenceu à Apple”, desembucha o co-fundador Jimmy Iovine

Em um press release oficial enviado à imprensa por Jimmy Iovine, co-fundador da Beats, o executivo disse que “sempre soube, no fundo do coração, que a Beats pertencia à Apple”. Já Tim Cook enviou um comunicado aos funcionários da empresa de áudio enaltecendo o foco da Apple no setor musical e explicando como a fusão das duas empresas será estruturada até o final deste ano.

“A história da Apple com a música começou cedo, vendíamos Macs a músicos. Isso é importante para nós até hoje. Levamos canções a milhões de ouvintes com o iTunes, e há um lugar especial no coração de nós, da Apple, para a música. Os co-fundadores da Beats, Jimmy Iovine e Dr. Dre, vão se juntar à Apple e trabalhar com o atual quadro de funcionários”, explicou o chefão da Maçã.

Cook endossou o “respeito” e disse que a negociata é válida para fãs e artistas. “A Beats Music foi construída com profundo respeito a artistas e fãs. A Apple e a Beats acreditam que um bom serviço de música requer um time forte e entrosado, e vamos continuar a expandir o que fazemos nessas áreas. O line-up do iTunes ficará ainda mais incrível e conectado”, concluiu.

Cupons de desconto TecMundo: