Desde seu início, um dos principais objetivos da Apple é oferecer produtos diferenciados e completamente voltados para a experiência do cliente. Se o comercial “1984” já dava conta de mostrar na prática essa faceta, isso ficou ainda mais evidente na volta de Steve Jobs à empresa e no novo direcionamento dos negócios. Um dos principais frutos dessa parceria renovada foi a criação das Apple Stores, um projeto que deu muito, muito certo. No entanto, você sabia que a companhia quase lançou um Café antes da sua icônica loja?

Um artigo da 512pixels e uma entrevista da Fast Company com o criador desse projeto inusitado mostraram que a história da Maçã no varejo quase foi muito diferente da atual. Enquanto Jobs começou a trabalhar no conceito das Apple Stores por volta de 1999 e fez a estreia do primeiro ponto do comércio pouco depois, em 2001, o empreendimento chamado de Apple Cafe é consideravelmente anterior a esse período, datando de algum ponto de 1997.

Futuro e passado em um só lugar?

Um pouco legal, mas um pouco brega também

Foi o próprio Jobs quem idealizou a iniciativa e escolheu o formato do negócio

Na ocasião, a ideia era que esses ambientes de relaxamento, consumo e entretenimento fosse gerenciado por uma companhia terceirizada, que utilizaria as marcas e a temática da Apple para atrair o público ao local. Ao que parece, foi o próprio Jobs quem idealizou a iniciativa e escolheu o formato do negócio. A ideia do rapaz? Encontrar um meio interessante para que a empresa voltasse a se conectar com seus consumidores e para que eles pudessem entrar em contato com os produtos da casa.

Sim, isso significa que haveria computadores e acessórios da marca disponíveis para compra no local, além de uma estrutura similar à dos antigos cibercafés, com oferta de computadores conectados à internet, alguns games e, claro, comida e bebida. Parece algo bacana e até um pouco à frente do seu tempo, certo? Sendo assim, o que fez com que a ideia não saísse do papel e acabasse dando lugar às extremamente populares Apple Stores? A resposta para isso não é muito certa.

Parece um discador da AOL, mas seria o sistema online do Apple Cafe

Uma das vertentes diz que Jobs queria algo mais próximo de uma loja de varejo com toda a cara da Apple e sob o domínio da companhia, enquanto outras pessoas envolvidas com a história afirmam que a empresa que cuidaria dos Cafés – e bancaria o empreendimento – desistiu do negócio antes que ele fosse colocado em prática. Será que se esse projeto ultrassecreto fosse levado adiante teríamos uma espécie de Starbucks da Maçã espalhado pelos quatro cantos do mundo?

Será que ia dar para encontrar Biff Tannen e George McFly aí dentro?

Pelas imagens de conceito desenterradas do Apple Cafe, dá para dizer que pode ter sido uma boa ideia evitar o visual oitentista ou noventista do empreendimento – com uma vibe totalmente inspirada em “De Volta Para o Futuro” – e apostar em um design minimalista e extremamente limpo para as Apple Stores. E você, gostaria de ter tido a oportunidade de passar algumas horas nesse cibercafé da marca ou prefere as lojas atuais da Maçã?

Cupons de desconto TecMundo: