A gigante de Cupertino apresentou uma proposta de expandir suas capacidades de fabricação dentro dos Estados Unidos, por meio de uma notificação oficial apresentada ao Federal Register – órgão governamental responsável por comunicar assuntos de interesse público. O documento descreve o interesse da empresa em ampliar a atual planta localizada na cidade de Mesa, no Arizona.

O aviso demonstra que a Apple pretende aumentar a produção de componentes utilizados em seus serviços. A empresa já possui linhas de montagens dentro dos Estados Unidos, visto que o atual Mac Pro é totalmente fabricado no país.

Apenas uma expansão modesta

A notícia do aumento da sede da Apple nos EUA é importante, mas não devemos nos empolgar ainda. O real objetivo de ampliar a planta da empresa envolve a fabricação e montagem de servidores e a criação de um hub central de operações para data center. Resumindo: é uma expansão operacional da companhia para abastecimento interno de suas próprias demandas, sem iPhones ou MacBooks.

Em publicação recente, a empresa se esforçou para esclarecer o assunto. Deixa claro que a notificação se trata de um pedido de renovação das atividades comerciais na área e, como manda a lei, em casos de alteração das instalações é necessário comunicar com antecedência.

Alinhamento com o atual governo

O recém-eleito presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, há pouco tempo realizou um encontro com empresários do setor de tecnologia e abriu o jogo, afirmando que telefonou  diretamente para o CEO da Apple, Tim Cook, propondo criar incentivos e cortes fiscais, buscando resgatar os milhares de empregos na China e no Vietnã.

Trump reuniu-se com os líderes de tecnologia final do ano passado, após resultado da eleição norte-americana

A Apple sempre foi conhecida por ser uma empresa de segredos – resta aguardar para saber se a nova gestão da Casa Branca vai pesar a mão nos rumos que serão tomados pela maior companhia de tecnologia do planeta.

Cupons de desconto TecMundo: