De acordo com as publicações The Wall Street Journal e Nikkei Asian Review, a Foxconn, em parceria com a Apple, estaria considerando construir uma fábrica de US$ 7 bilhões nos EUA. A planta serviria para montar displays para aparelhos da Maçã e poderia criar algo em torno de 30 a 50 mil empregos.

As duas companhias estariam verificando a viabilidade econômica de tal empreitada por conta da pressão do governo Trump, que estaria fazendo lobby para empresas norte-americanas trazerem de volta da Ásia suas fábricas e, por consequência, gerar empregos localmente.

As duas publicações afirmam que o presidente do conselho de administração da Foxconn, Terry Gou, discutiu detalhes sobre esse plano durante um evento da companhia no último final de semana. Segundo teria dito Gou, a empresa pensa em abrir uma planta nos EUA desde 2014, mas se fosse para iniciar o projeto nesse momento, precisaria de altos investimentos do governo para conseguir comprar terrenos baratos, bem como obter descontos significativos no valor da energia elétrica para a operação do local.

Interesse

A Apple está disposta a investir nessa planta porque eles precisam das telas também

Não ficou claro como exatamente a Apple entraria nessa equação, mas Gou teria confirmado que a companhia norte-americana é a grande interessada nesse projeto. “A Apple está disposta a investir nessa planta porque eles precisam das telas também”, teria comentado Gou.

Vale destacar que a Foxconn é uma empresa taiwanesa e não sofre a pressão que as norte-americanas sofrem do governo Trump. Contudo, como ela é quem de fato fabrica a maior parte dos smartphones e outros produtos da Apple, bem como os de outras grandes marcas, existe essa necessidade de uma parceria.

Não se sabe se esse projeto vai acabar saindo ou não do papel; porém, caso saia, vai gerar um aumento significativo no valor dos dispositivos eletrônicos vendidos nos EUA. Será que os consumidores vão estar dispostos a pagar mais?

Cupons de desconto TecMundo: