Quando a Apple anunciou em setembro do ano passado o seu primeiro smartwatch, todo mundo achava que o nome do produto seria “iWatch” dada a tradição da empresa nesse tipo de nomenclatura. Contudo, a Maçã resolveu ir com o nome “Apple Watch”, o que deixou muita gente surpresa. Mas você sabe o porquê dessa escolha? Dizem pela web que isso tem a ver com registros dessa marca em várias partes do mundo.

Basicamente, o nome “iWatch” estava muito protegido por patentes e registros de marca em vários países, inclusive nos EUA e na União Europeia, dois dos maiores mercados da Apple no mundo. Portanto, em vez de comprar várias vezes a mesma marca em diversas regiões, a Maçã resolveu driblar tudo isso com um nome mais simples: “Watch”.

Nome básico

Como se trata de um nome que já designa um setor de manufatura (relógio), ninguém poderia pedir o registro dele e transformá-lo marca registrada. Aí a Maçã só colocou um “Apple” na frente e conseguiu uma marca única para si. Contudo, ainda há empecilhos. Na Suíça, uma empresa chamada “Leonard Timepieces” tem os direitos da marca “Apple Watch”. Dessa maneira, a os novos smartwatches da Apple não poderão ser vendidos por lá até esse impedimento ser resolvido.

Essa estratégia de evitar gastos com marcas registradas no caso do Apple Watch é um tanto diferente. No lançamento do primeiro iPhone e do primeiro iPad, a Maçã se submeteu a comprar as duas marcas em várias regiões do mundo. Aqui mesmo no Brasil, houve problemas com o nome “iPhone”, que era de propriedade da Gradiente.

Apesar de essa história ser o motivo mais provável para essa nomeação diferente para o Apple Watch, não há uma confirmação oficial da fabricante.

Cupons de desconto TecMundo: