Contrariando rumores recentes, informações divulgadas no último final de semana pelo site DigiTimes indicam que o novo Apple Watch só deve ser lançado em 2018. A espera deve ser compensada pela presença de uma tecnologia conhecida como “MicroLED”, que promete melhorar substancialmente a duração da bateria do dispositivo.

A solução em questão se trata de uma aplicação proprietária da tecnologia OLED, que já se faz presente em diversos smartphones top de linha. Aparentemente, a Companhia da Maçã vai contar com a ajuda de empresas como a Samsung e a LG para conseguir a produção em massa dos componentes para a tela de seu relógio inteligente.

Além de uma tela com cores mais vibrantes (e menor consumo energético), a nova geração do gadget provavelmente vai oferecer mais espaço para o armazenamento de aplicativos. Entre as características que devem ser mantidas estão a tecnologia Force Touch e os tamanhos de 38 mm e 42 mm.

A nova geração do Apple Watch deve oferecer mais pulseiras personalizáveis

Também há a expectativa de que o novo Apple Watch incorpore um modem de celular que permita a ele realizar ligações sem depender de um iPhone pareado. No entanto, há a probabilidade de que a fabricante decida remover essa opção e continue adotando a tática de oferecer o Watch como um prolongamento de seu smartphone.

Para completar, a Apple está negociando com empresas como a Hermes no intuito de oferecer aos consumidores mais opções de pulseiras personalizadas. Com isso, não seria nenhum espanto descobrir que a empresa também prepara novos tipos de acabamento para seu gadget, que também é considerada por ela como um acessório de luxo.

Cupons de desconto TecMundo: