Boa parte do sistema de avaliação de ofertas da Amazon atualmente funciona com base em opiniões espontâneas de pessoas que compraram determinados produtos, o que ajuda a garantir que itens sejam classificados apropriadamente. No entanto, muitos vendedores mais espertinhos ofereciam incentivos na forma de descontos ou coisas gratuitas para quem fizesse reviews “honestos”, o que acaba resultando em opiniões significativamente mais positivas. Agora, a Gigante do Comércio Eletrônico vai acabar com essa farra.

Em um comunicado oficial, a empresa anunciou que está alterando suas guias de comunidade para eliminar todas as análises incentivadas, exceto por aquelas que forem feitas por meio do programa Amazon Vine. Por meio dessa iniciativa, a companhia identifica usuários confiáveis e aplica alguns mecanismos de controle para impedir que a oferta de vantagens afete o processo de avaliação.

É o fim de todas as avaliações incentivadas que não façam parte do programa Amazon Vine

Não é de hoje que a Amazon vem proibindo reviews financiados. No passado, a empresa processou sites que ofereciam análises positivas em troca de pagamento e chegou até a entrar com ações na Justiça contra as pessoas que escreveram avaliações compradas. No entanto, as análises “incentivadas”, que ofereciam descontos ou produtos para quem desse sua opinião, eram simplesmente ignoradas até agora.

Efeitos dos incentivos

Ainda que as pessoas que se beneficiaram desse tipo de vantagem teoricamente tivessem a liberdade de dar opiniões sinceras a respeito dos itens adquiridos, o fato é que elas acabavam tendendo a fazer avaliações muito mais positivas. Esse resultado se deve entre alguns fatores, como o fato de que os vendedores provavelmente buscaram pessoas menos críticas e a possibilidade de que os escolhidos temessem não receber mais chances parecidas se falassem mal do que ganharam.

Uma pesquisa feita pela ReviewMeta com 7 milhões de avaliações na Amazon indicou que a média de notas de produtos com reviews incentivados (4,74 de 5 estrelas) é maior do que as daqueles que não fazem uso desse tipo de sistema (4,36 de 5 estrelas). Ainda que a diferença de 0,38 estrela pareça pouca, o impacto é o suficiente para que os itens “impulsionados” subam da faixa dos 54% para a dos 94%, efetivamente entrando na lista de “melhores produtos”.

Dados da pesquisa do ReviewMeta sobre o impacto das avaliações incentivadas

O estudo também constatou que as pessoas incentivadas tinham 12 vezes menos chance de dar uma avaliação de uma estrela e quatro vezes menos probabilidade de fazer críticas do que aquelas que agiram espontaneamente. Além disso, os participantes dos programas de vantagens escreveram em média 232 análises cada, enquanto que ficou de fora só fez cerca de 31.

Tudo sob controle

De agora em diante, avaliações incentivadas que não fizerem parte do programa Amazon Vine serão apagadas. A iniciativa da Gigante das Vendas funciona de forma diferente, já que a companhia escolherá os participantes sem a ajuda dos vendedores e apenas para produtos novos, que não tenham sido vendidos o suficiente para gerar uma boa quantidade de reviews espontâneos.

Os participantes serão selecionados entre usuários que já tenham escrito algumas avaliações e que tenham sido votados como “úteis” por outros consumidores, além de terem certo conhecimento em relação a categorias específicas de produtos. “Nós não incentivamos números positivos de estrelas, nem mesmo pedimos que um texto seja escrito. Limitamos o número total de reviews do Vine que são mostrados em cada item”, explica Chee Chew, vice-presidente de experiência do consumidor da Amazon.

Cupons de desconto TecMundo: