(Fonte da imagem: Reprodução/Krebs On Security)

No começo do mês de outubro, a Adobe revelou que seus servidores haviam sido invadidos e informações de 2,9 milhões de clientes haviam tido dados roubados pelos hackers envolvidos. Entre esses dados conseguidos pelos cybercriminosos, estariam nomes completos, endereços e números de cartões de crédito, além de várias senhas e outros elementos que poderiam ser utilizados de maneira perigosa.

Agora, novas informações mostram que o problema é bem maior do que se pensava. A razão disso está no fato de que o número anunciado anteriormente estaria errado...E bem errado! Os novos dados conseguidos pelo site Krebs on Security mostram que o número de consumidores atingidos pela invasão nos servidores da Adobe é de pelo menos 38 milhões.

Arquivos espalhados por comunidades hacker mostram um número de 150 milhões de pessoas atingidas, mas há informações de que boa parte desses cadastros seria fictícia — criados para testes pela própria Adobe. Também há uma grande quantidade de usuários inativos que estariam nesse bolo, com dados desatualizados e informações inacessíveis. Com isso, a Adobe reduz o volume para os 38 milhões ditos anteriormente.

O Krebs on Security também afirma que outro tipo de informação foi roubado durante a invasão do começo do mês: códigos-fonte. Segundo o site, dados sigilosos sobre a construção de vários aplicativos da Adobe (incluindo Acrobat e Photoshop) foram roubados junto com os dados dos consumidores. A Adobe preparou uma página especial para dar dicas de segurança aos usuários afetados e você pode conferir tudo por este link.

Cupons de desconto TecMundo: