Como usar: Microsoft Virtual PC

Aprenda a instalar um segundo sistema operacional em seu computador se a necessidade de formatação ou repartição.
  • Visualizações140.507 visualizações
Por Danilo Amoroso em 12 de Maio de 2009

O Virtual PC é a ferramenta da Microsoft para emulação de outros sistemas operacionais em um computador. Ou seja, ele possibilita que você instale outra versão do Windows para executar programas antigos, incompatíveis ou para que faça testes sem prejudicar o sistema operacional de uma máquina.

Neste guia você vai aprender a configurar o Microsoft Virtual PC para instalar um segundo sistema operacional.

Antes de começar

Para que o Virtual PC consiga executar outro sistema operacional na mesma máquina, ele utiliza uma técnica chamada virtualização. Um computador cria um ambiente simulado onde o novo sistema é instalado. Esse sistema é capaz de executar o sistema operacional diretamente do disco rígido.

O acesso a recursos como rede, teclado, propriedades de exibição e outros dispositivos, por exemplo, pode sofrer com certa limitação nesse processo. Esses dispositivos são gerenciados de maneira restrita, pois nem sempre é possível executar todos os processos de um sistema operacional antigo adaptado para uma máquina mais moderna. Dependendo da capacidade da máquina utilizada, nem todos os recursos de um dispositivo podem ser utilizados. Por outro lado, qualquer erro que aconteça dentro de um sistema operacional emulado não prejudica o computador que o hospeda.

Técnicas de virtualização podem ser utilizadas para diversos fins. Uma vez que você usa um sistema em pano de fundo, é possível se submeter a certos riscos sem chances de causar danos. Por exemplo, é mais seguro acessar sites de bancos ou páginas suspeitas, testar programas suspeitos, fazer manutenções, etc. Para saber mais sobre esse assunto, você pode ler este artigo. De fato, existem vários programas capazes de executar virtualização, porém focamos no Microsoft Virtual PC como referência.

XP Mode

Com o lançamento do Windows 7, a Microsoft atingiu um novo patamar de virtualização com o XP Mode. Essa é uma nova maneira de virtualização que permite a execução de programas incompatíveis com o Vista/7 sem a execução do Virtual PC. Só é necessário executar o Virtual PC para acessar o programa pela primeira vez. Da segunda vez em diante, o próprio Windows 7 é capaz de executar o programa por si só.

O XP Mode foi anunciado como uma grande novidade. Até certo ponto, é, mas ela representa um simples avanço do uso do Microsoft Virtual PC

Mãos à obra

Para executar um sistema operacional emulado, você precisa do Microsoft Virtual PC e um CD do sistema operacional que você deseja instalar. Também é possível utilizar uma imagem desse sistema.

O primeiro passo é criar um drive virtual. Ele não representa o sistema operacional que será instalado, é apenas um disco virtual para armazená-lo. Esse drive tem um arquivo que contém todos os arquivos necessários para a inicialização e o uso do sistema. Esse arquivo tem a extensão VHD. Você tem três opções: criar uma máquina nova através de um guia básico, criar uma máquina nova com as configurações já definidas ou adicionar uma máquina já existente.

Para começar, escolha um modo para criar uma máquina virtual.

O segundo passo é dar um nome para o sistema criado. Use um nome que facilmente identifique tal sistema para que você não se confunda.

Dê um nome que facilite a identificação da máquina.

Em seguida, selecione a versão do Windows desejada. Lembre-se que isso não define nada sobre o sistema operacional que será instalado posteriormente. É apenas uma identificação para o disco virtual criado.

Escolha a versão do Windows que você pretende instalar.

O próximo passo é crucial para o bom funcionamento do sistema instalado: a escolha de quanta memória RAM deverá ser utilizada neste sistema. Você tem duas opções: usar a quantidade recomendada ou então ajustar manualmente esse nível. Uma dica é utilizar o dobro de memória RAM indicado.

Outra dica: se você não pretende utilizar o sistema operacional emulado, é recomendável não deixá-lo ativo para que ele não "roube" memória RAM do seu computador.

Escolha um modo para usar a memória RAM necessária.

A configuração seguinte é simples, porém importante: a definição de um nome e uma pasta para o disco virtual. É importante marcar a opção “Enable undo disks” caso você use o sistema para testes ou outros procedimentos que podem não ser seguros. A tela seguinte conclui esta parte, definindo onde o drive virtual será instalado.

Defina um local para salvar o arquivo do disco virtual.

As configurações da instalação serão resumidas na tela seguinte. Com tudo nos conformes, basta prosseguir para concluir a instalação. A máquina virtual será instalada e configurada. Agora você deve instalar o sistema operacional dessa máquina criada. O processo é o mesmo de um computador normal.

O console do Virtual PC

A máquina virtual criada será exibida à esquerda. À direita, quatro botões controlam todo o funcionamento do programa.

O console do Virtual PC é simples.

O botão “New” facilita a criação de novas máquinas virtuais. Já o botão “Settings” exibe todas as configurações e características da máquina virtual selecionada. São informados nome, memória RAM e outros detalhes. Clicando em cada um dos itens à esquerda, os respectivos detalhes são exibidos à direita.

Detalhes sobre o disco virtual criado.

O botão “Remove” exclui uma máquina criada. O botão “Start” inicia a máquina virtual e é aqui que você pode instalar um novo sistema operacional. Com o CD de instalação inserido (ou outro dispositivo com boot), inicie a maquina virtual para executar o boot e instalar o sistema normalmente.

Para usar um arquivo de imagem, basta clicar em “CD”-“Capture CD image”. Basta indicar onde o arquivo está localizado para começar a usá-lo e prosseguir a instalação. Com o sistema instalado, basta usar a máquina como se fosse um outro computador.

Opções dos menus

O menu “Action” oferece controles para o aperfeiçoamento do uso do sistema operacional emulado. São elas:

“Full-Screen Mode”: exibe o novo sistema instalado em tela cheia.

“Ctrl+Alt+Del”: acessa opções para gerenciamento de processos e desligamento da máquina.

“Pause”, “Reset” e “Close”: pausar, resetar ou fechar o sistema. Você tem a possibilidade, em alguns casos, de salvar o atual estado do sistema (por exemplo, um programa aberto).

“Install or Update Virtual Machine Additions”: o Virtual PC oferece “extras” que complementam a funcionalidade do sistema instalado. Nessa opção você instala esses extras.

“Properties”: propriedades da máquina virtual em execução.

No menu “CD” você tem controles para ejetar a bandeja ou parar o uso de uma imagem.

No Windows Vista/Seven

No Windows Vista ou Seven, é mais simples emular o Windows XP, por exemplo. A própria Microsoft oferece os arquivos VHD (ou seja, a imagem do sistema) para que você o utilize no Virtual PC sem precisar de um CD. Para começar, clique aqui para acessar a página de download. Leia a página com atenção. Ela oferece diferentes versões do Windows XP e do próprio Vista. Você pode escolher cada sistema com o Internet Explorer 6, 7 ou 8 já instalado.

Atente para a escolha da versão correta do Windows.

ATENÇÂO

As imagens do Windows XP podem ser utilizadas até o dia 31 de agosto de 2009. Já as imagens do Windows Vista expiram 120 dias após a primeira execução.

No Windows Seven, há ainda o XP Mode, novidade da Microsoft para amenizar os problemas de compatibilidade com programas do Windows XP. Para saber mais, clique aqui. O XP Mode se diferencia do Virtual PC por possibilitar a execução de programas do Windows XP sem a necessidade de acessar a interface do emulador. No entanto, é necessário ter um processador com capacidade de virtualização para executar este modo.

Para fazer o teste em seu computador, você pode utilizar o programa SecurAble. É um aplicativo gratuito que informa se o seu processador é capaz de executar o XP Mode. O programa busca três informações sobre o seu processador que são cruciais para saber se ele é capaz de executar virtualização. São elas:

Maximum Bit Length (32-bit ou 64-bit) – informa se o seu sistema é de 32 ou 64 bit.

Hardware D.E.P – informa se o processador oferece proteção contra código malicioso.

Hardware Virtualization – instruções otimizadas para execução de máquinas virtuais. Esta é a informação mais importante e é ela quem define se o seu processador é capaz ou não de suportar virtualização.

Clique aqui para baixar o SecurAble.

Com esta confirmação, é necessário acessar as configurações da BIOS e habilitar este recurso. Cada placa-mãe tem um padrão de BIOS, mas esta opção pode ser encontrada na seção do processador.

Agora você já sabe como aproveitar melhor o Windows Virtual PC. Esperamos que este guia seja proveitoso para você. Até a próxima.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!