(Fonte da imagem: Reprodução/Agora)

Poucos dias depois de bloquear o Twitter na Turquia, o The Wall Street Journal anunciou que o governo do país está impossibilitando o acesso da população ao YouTube. A proibição veio poucas horas depois de um vídeo ser publicado na rede mostrando uma autoridade militar turca conversando sobre um possível ataque contra militantes na Síria.

O país, que em três dias passará por eleições, já havia pedido que o site removesse os vídeos que criticavam o governo turco. O Google respondeu que não iria realizar o pedido das autoridades.

A situação com o Twitter também foi conduzida por uma denúncia no país. A rede social foi utilizada para a publicação de gravações de áudio em que o Primeiro Ministro da Turquia e seu filho discutiam como esconder grandes quantias de dinheiro vivo. A decisão de bloqueio foi revogada pela corte turca na tarde de ontem, e até então parte da população já utilizava serviços de DNS para conseguir acessar o site.

Os bloqueios do governo são fundamentados por uma lei aprovada no início do ano que permite que as autoridades das telecomunicações turcas cortem o acesso para os sites que não estejam dentro da lei. Com isso, um site pode ser derrubado no país sem uma decisão judicial.

Cupons de desconto TecMundo: