Não seria exagero afirmar que o YouTube só se tornou o maior serviço de vídeos online do mundo porque é gratuito. Não exigindo pagamento por parte dos “clientes”, conseguiu ser disseminado e tornou-se o terceiro site mais visitado (atrás de Facebook e Google, apenas). Agora, o CEO do YouTube (Salar Kamangar) afirmou que essa história pode ser um pouco modificada.

Segundo ele, a indústria de vídeos fatura da seguinte maneira: 20% por revendas e locações, 40% por anúncios e 20% por assinaturas. A empresa quer ganhar dinheiro com este último item, por isso é possível que em breve sejam lançadas contas Premium para quem acessa o YouTube. Mas isso ainda precisa ser estudado com mais profundidade, antes que qualquer oficialização seja realizada.

Ainda não se sabe quais seriam as vantagens que os usuários Premium teriam em relação aos outros. Agora, é preciso esperar por anúncios oficiais da real segmentação e — caso seja confirmada — informações sobre pacotes de aquisição que serão oferecidos para os usuários. 

Cupons de desconto TecMundo: