Justiça decide que YouTube não precisa pagar Ecad por clipes na plataforma

1 min de leitura
Imagem de: Justiça decide que YouTube não precisa pagar Ecad por clipes na plataforma
Fonte: Meu Smartphone
Avatar do autor

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou, na última terça-feira (22), que a Google pagará ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) e à União Brasileira de Editoras de Música (Ubem) uma fatia menor do que a requerida pelos órgãos pelos direitos autorais dos clipes postados no YouTube. Essa batalha jurídica já se estende há mais de três anos, e esta recente decisão pode ser considerada uma vitória para a Gigante das Buscas.

De acordo com a juíza Maria Cristina de Brito Lima, a reprodução de clipes musicais no serviço não pode ser considerada uma forma de execução pública, mas sim uma reprodução individual — portanto, o Ecad não pode atuar neste caso. Maria afirma que a Google deve pagar os autores através das editoras musicais, que são responsáveis por negociar os direitos autorais das composições.

A companhia só deve algo para a Ecad no caso de reproduções ao vivo, como transmissões de shows através do YouTube. Nesse caso, a Google precisa pagar 1% do lucro recebido pela publicidade dos vídeos. O Ecad afirmou que vai contestar a decisão, pois, de acordo com um representante do instituto, ela “segue na contramão dos recentes acordos firmados pelo próprio YouTube pelo mundo”.

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Justiça decide que YouTube não precisa pagar Ecad por clipes na plataforma