O YouTube, a empresa que criou o serviços de vídeos e foi comprada pela Google em 2006, acaba de anunciar um marco para a segurança digital dos vídeos. Por meio de uma postagem no site oficial da companhia, descobrimos que quase todo o tráfego da plataforma – mais precisamente 97% – acontece através de uma proteção de navegação criptografada.

A empresa lembra que tem trabalhado com a aplicação do sistema HTTPS há dois anos e que tem demorado tanto para chegar aos 100% por causa da quantidade de material disponível. Porém, outro dificuldade apontada pelo YouTube é a grande variedade de dispositivos que utilizam a plataforma, de celular antigos com flip até TVs inteligentes. O objetivo é chegar aos 100% de tráfego criptografado em breve.

Tráfego do YouTube já está 97% criptografado

O HTTPS

O protocolo HTTPS é um sistema muito mais complexo e seguro que o HTTP. Nos últimos anos, muitas empresas tem demonstrado resistência para adotá-lo, especialmente por conta da quantidade de usuários que ainda dependem do modelo antigo por causa de dispositivos sem suporte ao HTTPS. Porém, uma pesquisa recente mostra que o novo padrão deve se estabelecer em breve.

Segundo dados recentes, uma em cada três compras na internet são realizadas através do protocolo HTTPS. Isso acontece exatamente porque esse sistema é considerado mais seguro, sendo utilizado por sistema bancários e empresas de e-commerce.

A Google também implementou recentemente o HSTS, um segurança de transporte restrita para todos os domínios Google.com. Essa medida impede que as conexões HTTPS voltem a utilizar o HTTP não criptografado, fechando o círculo para aqueles que não migrarem para o novo protocolo.

De acordo com a própria Google, o YouTube é um dos serviços mais seguros da empresa. O Gmail e o Calendar também se destacam quando o assunto é segurança e a adoção do protocolo HTTPS.

Gmail, YouTube e Calendar são os serviços mais seguros da Google

Cupons de desconto TecMundo: