O YouTube é uma plataforma social de hospedagem de vídeos cuja popularidade é incontestável, e isso faz com que o serviço enfrente muitos problemas relacionados a direitos autorais – afinal, todos os dias, talvez milhares de usuários fazem o upload de filmes, músicas e outros materiais protegidos que precisam ser removidos.

A empresa da Google possui algoritmos relativamente eficientes que varrem automaticamente os arquivos em busca de imagens e músicas com copyrights, mas os piratas sempre encontram uma forma de burlar o sistema e hospedar material proibido. Espelhar imagens, alterar o som e colocar figuras aleatórias nas bordas são práticas comuns que muitas vezes permitem que um clipe fique online no YouTube durante longos períodos sem ser detectado.

Um novo formato, entretanto, promete desafiar ainda mais a Google em sua luta interminável contra a pirataria: os vídeos em 360°. O site já suporta há algum tempo vídeos nessa configuração, e recentemente foi descoberta uma publicação que escondia um filme pirata (“As Patricinhas de Beverly Hills”). O título em questão era exibido em uma espécie de tela virtual em um estúdio de dança, evitando assim ser pego pelo sistema antipirataria do site.

O vídeo já foi removido do YouTube, mas não sabemos se isso se deveu ao fato dele ter aparecido em dezenas de notícias na internet ou se o Content ID da Google realmente foi capaz de reconhecer a violação. O fato é que os engenheiros da rede social vão precisar bolar um bom plano para evitar que o problema se repita e que os vídeos em 360° se transformem em hospedeiros de filmes ilegais.

Cupons de desconto TecMundo: