Quando o assunto são dispositivos mobile, é inegável o poder de fogo dos chips da Qualcomm, que aliam processador, unidade gráfica e outros recursos em uma única peça. O Snapdragon 810 seguiu o mesmo esquema, mas problemas de aquecimento fizeram que grandes nomes da indústria acabassem deixando de lado a solução unificada para seus celulares top de linha. Mesmo assim, isso não parece ter assustado a Xiaomi, que resolveu apostar no produto da fabricante norte-americana para compor o seu Mi Note Pro, que será lançado amanhã (6).

Ainda que companhias sul-coreanas como a LG e a Samsung tenham preferido buscar soluções próprias ou migrar para concorrentes na hora de pensar em seus últimos lançamentos no setor de smartphones, a aparente má fama do Snapdragon 810 não incomodou os chineses. Além de contar com a potência do chip, a Xiaomi recheou seu mais novo aparelho com um hardware de ponta, pronto para fazer frente – teoricamente – a qualquer competidor no mercado. Confira abaixo as especificações do produto.

Especificações Técnicas

  • Tela: IPS LCD de 5,7 polegadas
  • Resolução de tela: 2K (2560x1440 pixels)
  • Sistema operacional: Android 5.0.1 (Lollipop)
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 810 quad-core de 1,5 GHz + quad-core de 2 GHz
  • GPU: Adreno 430
  • Memória RAM: 4 GB
  • Armazenamento interno: 64 GB
  • Câmera traseira: 13 MP
  • Câmera frontal: 4 MP
  • Conectividade: 4G LTE, Bluetooth 4.1, WiFi 802.11 a/b/g/n/ac, dual-band, WiFi Direct, hotspot, porta micro USB 2.0
  • Bateria: 3.000 mAh
  • Peso: 161 g
  • Dimensões: 77,6 mm de largura x 155,1 mm de altura x 7 mm de espessura

Além disso, o Mi Note Pro deve chegar aos consumidores com um design premium, já que a carcaça do dispositivo deve ser fabricada em uma única peça de metal. Infelizmente, isso significa que não haverá entrada para cartões microSD – fazendo com que não seja possível expandir o armazenamento do celular – e que a bateria não será removível. A MIUI ainda deve ser a interface oficial do aparelho, desenvolvida em cima da versão 5.0.1 do Android Lollipop.

A dúvida que fica no ar é se a Xiaomi vai conseguir garantir o desempenho e temperatura de seu top de linha mesmo optando por utilizar o chip da Qualcomm ou se vai acabar sofrendo do mesmo tipo de mal da HTC com seu One M9. Deixe sua opinião na seção de comentários e fique ligado no TecMundo para mais notícias sobre o Xiaomi Mi Note Pro.

Cupons de desconto TecMundo: