Após boatos que indicavam que a Xiaomi estaria interessada em fabricar processadores para alguns de seus aparelhos móveis – com a aquisição de empresas do ramo desde 2014 , um teste de benchmark do dispositivo Xiaomi Meri pode mostrar que esses chipsets já foram criados e estariam sendo testados. A ideia inicial seria criá-los para dar vida a dispositivos de entrada enquanto se aprimoram nessa empreitada complexa e arriscada.

Quem lançou a letra foi uma conta chamada @Science and Technology no Weibo, a famosa rede social exclusiva da China. Segundo ela, suspeita-se que o processador desconhecido do Xiaomi Meri já seja fabricado pela própria empresa. Informações tiradas do AnTuTu mostram que o chipset está ligado a uma GPU Mali-T860 e que a tela do Meri é de 5,46 polegadas com resolução de 1080p. Isso significa que pode se tratar de um Cortex-A53 ou A57. O número de núcleos do processador ainda é desconhecido.

Botando medo nos gigantes

Caso dê certo no mercado de produção de processadores, a Xiaomi pode dar uma boa dor de cabeça para fabricantes como a Qualcomm e a MediaTek, que atualmente fornecem os chipsets para a gigante chinesa. Como por enquanto o foco é apenas em aparelhos de entrada, dispositivos como o popular Redmi Note 3 ainda estão longe de ganhar um sucessor que utilize processador Xiaomi.

Porém, se essa chegar um dia, pode ser uma grande jogada econômica para a companhia, que além de se livrar da dependência dessas fabricantes, vai poder ainda fornecer produtos para outras produtoras de smartphones. Confira as imagens que geraram os boatos:

Cupons de desconto TecMundo: