Tentando provar que não está medindo esforços para ganhar mais espaço no acirrado mercado de smartphones intermediários, a Xiaomi lançou o Redmi Note 4X. A novidade traz algumas mudanças em relação ao que vimos no Redmi Note 4, incluindo o foco no chipset Snapdragon 625 da Qualcomm, mais opções de cores para o aparelho e um preço ligeiramente menor – tudo para tentar conquistar mais público fora da China.

Por outro lado, muita coisa permanece praticamente idêntica ao que vimos no Note 4, como você pode conferir na nossa análise do smartphone (clique aqui). Mas será que diferenças no hardware, opções de visual e preço são o suficiente para tornar o 4X mais atraente? Talvez você consiga decidir no final deste artigo.

Desempenho dos bons

Indo direto ao ponto, a principal novidade desse dispositivo é que a Xiaomi deixou o processador MediaTek Helio X20 de lado e resolveu se focar só no Snapdragon 625. Isso significa que o aparelho perdeu um pouco de poder de processamento, mas ganhou em economia de energia e na quantidade de bandas para conexão com redes 4G, o que é sempre bem-vindo.

Nos nossos testes, usamos a versão do 4X que vem com 3 GB de memória e 32 GB de armazenamento, mas vale lembrar que o celular também tem um modelo com 4 GB de RAM e 64 GB para guardar fotos, vídeos, músicas e apps – os dois são compatíveis com cartões micro SD. Dessa forma, quem quiser um pouco mais de poder de fogo e espaço interno vai poder escolher a versão que preferir.

No uso cotidiano, nem a versão mais fraca do dispositivo sofreu com travamentos ou lentidões. O carregamento e a troca de aplicativos acontecem de forma rápida mesmo quando vários apps estão abertos. Até games com gráficos exigentes, como Uncharted, Asphalt Xtreme e Mobius Final Fantasy, rodam sem problemas. Da mesma forma, jogos com taxas elevadas de quadros por segundo, como Horizon Chase, não apresentaram falhas.

Isso tudo significa que, na prática, a troca do processador MediaTek pelo da Qualcomm acaba não afetando o desempenho de forma perceptível no dia a dia e as diferenças só podem ser vistas em testes de benchmark. Falando nisso, confira os resultados do Redmi Note 4X a seguir.

Benchmarks

Para podermos comparar numericamente o desempenho do Redmi Note 4X com o de alguns concorrentes, o aparelho foi submetido a três aplicativos de benchmark. Os apps escolhidos são o 3D Mark (teste Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 6 e Vellamo Mobile Benchmark (testes HTML5 e Metal).

O aplicativo 3D Mark oferece uma série de testes para benchmark de smartphones. Entre eles, o Ice Storm Unlimited permite fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. A resolução do display é um fator que pode afetar o resultado final. O desempenho é medido por uma pontuação que funciona de forma simples: quanto maior, melhor.

O conceituado app AnTuTu 6 permite fazer testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são fornecidos individualmente e somados para gerar uma pontuação total. E aqui também vale o senso comum: quanto mais pontos, melhor o desempenho.

O Vellamo Mobile Benchmark permite a aplicação de dois testes aos smartphones, chamados HTML5 e Metal. No primeiro, o app avalia o desempenho do celular durante o acesso de conteúdo na internet por meio de navegadores. No segundo, por sua vez, é medida a performance do processador. Novamente, números maiores indicam resultados melhores.

Dois lados do software

O mérito do bom desempenho do Redmi Note 4X não é só do hardware, pois tem a ver em parte com o software da Xiaomi. A MIUI 8.2 é a interface construída pela fabricante com base no Android 6.0 Marshmallow e não é somente bastante funcional, mas também ágil e visualmente agradável. Ela não apresenta gaveta de aplicativos e o visual dos ícones parece inspirado pelo iOS, mas os menus e as abas de notificações lembram mais outras versões modificadas do sistema da Google, como a TouchWiz da Samsung.

A interface da MIUI é bela e eficiente, mas não tem só lados positivos

Mas a interface da Xiaomi não tem só pontos positivos. Como o aparelho é importado da China, há uma boa chance de que o sistema operacional que vem instalado seja uma adaptação de sua versão chinesa. Essa variante é conhecida como Shop ROM e tem alguns problemas. Não dá para encontrar o app da Netflix na Play Store, por exemplo, e podem rolar dificuldades e bugs em outros serviços.

Essa questão pode ser contornada se você baixar os programas que estiverem indisponíveis na Play Store a partir de fontes externas na forma de APK, mas você pode ficar vulnerável a malwares se não conhecer um site confiável para isso. Outra opção é instalar a ROM Global oficial para o celular direto do site da Xiaomi, mas erros nesse processo podem levar você a “brickar” o smartphone. Como não há assistência técnica especializada da fabricante chinesa no país, é bom evitar esses riscos se você não se sentir confiante para encará-los sozinho. Já no caso de você se sentir disposto a arriscar, pode seguir nosso tutorial clicando aqui.

Bonito e firme

Por fora, quem vê o Redmi Note 4X provavelmente não vai notar muita diferença com relação ao Redmi Note 4 – e isso não é ruim, já que o aparelho possui um visual bonito e discreto. A frente conta com botões capacitivos na parte inferior do vidro, que tem as bordas sutilmente curvadas para melhorar o manuseio do dispositivo.

A carcaça é feita de metal rígido e liso, também com curvatura nas beiradas para aumentar a superfície de contato com as mãos dos usuários e, assim, melhora bastante a pegada do 4X, mesmo considerando seu tamanho grande. Falando na rigidez da estrutura, ela realmente é fácil de perceber ao mexer no celular, ressaltando sua construção resistente. No entanto, é bom não depender muito da sorte, já que o aparelho não vem com a proteção do Gorilla Glass.

Um aspecto do visual que não é exatamente negativo, mas também não contribui para diferenciar o dispositivo da Xiaomi, é o fato de seu design seguir à risca um padrão que já vem sendo utilizado na China há algum tempo. Se você bater o olho na traseira dele, é possível que demore um pouco para conseguir distinguir se se trata dele mesmo, de um Meizu M5 Note, de um HTC One M7 ou de algum outro celular. Pelo menos o 4X vem com outras opções de cores além do cinza, incluindo preto, dourado, rosa e verde-azulado – ou azul-esverdeado, não consegui determinar.

Tela na medida

Assim como o Redmi Note 4, o 4X tem uma tela que apresenta boa qualidade, mas também não pode ser considerada uma das melhores da categoria. O display de 5,5 polegadas vem com tecnologia IPS LCD e resolução Full HD (1920x1080 pixels), o que confere uma densidade total de 401 ppp (pixels por polegada). Com esses números, o celular consegue exibir imagens nítidas e com bons detalhes.

O brilho é forte o suficiente para garantir que você possa utilizar o celular sem dificuldades mesmo sob Sol forte, e as cores são variadas e bem marcadas. As tonalidades não são tão vivas quanto as de uma tela AMOLED ou Super AMOLED, mas isso não deve incomodar quem não está acostumado com esse tipo de tecnologia de displays nem disposto a gastar mais para o experimentar.

Câmeras quebra-galhos

Se você está procurando um smartphone que capture fotografias de qualidade sem grandes dificuldades, o Redmi Note 4X não é a melhor opção. Ele até consegue resultados aceitáveis em situações com boa iluminação, mas o foco automático muitas vezes acaba mais atrapalhando do que ajudando – especialmente se você tirar fotos à noite ou em um ambiente escuro. Mesmo quando a imagem parece boa, é só dar um pouco de zoom para notar o desfoque.

As câmeras do Redmi Note 4X servem para quebrar galhos, mas não são muito boas

O sensor traseiro conta com alguns filtros no estilo Instagram e certa variedade de modos, mas isso faz pouca diferença na qualidade final. Curiosamente, a câmera frontal teve um desempenho um pouco melhor para selfies, talvez devido ao fato de estar configurada para detectar rostos e focar neles automaticamente. Ainda assim, o efeito embelezador ativado por padrão pode gerar resultados artificiais demais, então talvez seja uma boa ideia deixá-lo desligado.

No que diz respeito à captura de vídeos, o 4X é simplesmente mediano tanto no modo normal quanto no “timelapse” – que, na prática, só acelera um pouco a velocidade do material capturado. A modalidade de câmera lenta, no entanto, faz a resolução despencar e o resultado acaba ficando ruim. Em geral, as câmeras são superadas em quase todos os quesitos por concorrentes como Galaxy A7 (2017), Zenfone 3 Zoom e Moto Z Play, entre outros.

Redenção da bateria

Se no Redmi Note 4 o processador Helio X20 fazia com que a bateria de 4.100 mAh não fosse capaz de manter o aparelho funcionando por muito tempo, no 4X o Snapdragon 625 transforma a questão da água para o vinho. O foco no chipset da Qualcomm fez com que o celular conseguisse atingir pouco mais de 11 horas de reprodução contínua de vídeo, um excelente marco para um smartphone de tela grande.

Em condições de estresse, o aparelho conseguiu reproduzir vídeos continuamente por mais de 11 horas

Considerando que essa é uma situação de utilização ininterrupta em condições de estresse, é de se esperar que o uso em um contexto mais próximo de uma rotina comum permita que a autonomia energética do dispositivo seja o bastante para um dia inteiro com folga. Durante o tempo que ficamos com o Redmi Note 4X, notamos que era possível tirar o aparelho da tomada de manhã, passar o dia inteiro normalmente, ir dormir e ainda ter um pouco de carga disponível no dia seguinte.

Extras

Logo abaixo da câmera traseira, o intermediário da Xiaomi traz um leitor de digitais de ótima qualidade, capaz de reconhecer a biometria dos dedos cadastrados com precisão e rapidez. O cadastro das digitais, aliás, é bem rápido e exige apenas que você repita algumas vezes o ato de tocar no sensor.

No que se refere ao áudio, podemos dizer que o aparelho está na média da categoria, apresentando força e qualidade, mas com distorção sutil em volumes mais elevados. Ainda assim, temos duas queixas quanto a esse ponto:

1) O aparelho não vem com fones de ouvido, o que até é comum para as marcas chinesas, mas não é legal mesmo assim;
2) O posicionamento da caixa de som em um dos lados da parte inferior do celular pode fazer com que, dependendo da posição da sua mão, a saída seja tampada e o áudio fique abafado.

O Redmi Note 4X vem com a pegadinha do dual-SIM fake

Por fim, vale também ressaltar que o Redmi Note 4X tem espaço para dois chips de operadora, sendo um micro SIM e o outro nano SIM. No entanto, você terá que abrir mão da segunda opção se quiser expandir a memória do dispositivo por meio de um cartão micro SD. Essa prática, conhecida como “dual-SIM fake”, aparece com frequência nos aparelhos chineses e pode acabar enganando compradores desavisados.

Vale a pena?

Como a Xiaomi não está vendendo o Redmi Note 4X oficialmente aqui no Brasil, o jeito é usar serviços como o da GearBest para trazer o aparelho de fora. Por lá, o modelo com 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento sai por algo entre US$ 175 e US$ 200, desconsiderando promoções, o que, convertido para a nossa moeda, fica com uma média de R$ 585. Já que a alfândega brasileira pode taxar o produto em até 60%, é bom você estar preparado para gastar um total de cerca de R$ 936, o que ainda é um ótimo preço para o hardware oferecido.

E, se isso não for o bastante para você, sempre é possível investir um pouquinho mais para trazer o modelo de 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento, o que sairia por um total de R$ 1.115 já com os 60% de imposto adicionados. Mesmo assim, o preço é excelente e vale muito a pena pelo que é oferecido – mas há um pequeno porém.

As dificuldades causadas pela versão modificada do sistema operacional chinês do aparelho, o chamado Shop ROM, são reais e, por mais que possam ser resolvidas, não é algo que qualquer pessoa consegue fazer sem ajuda. Além disso, soluções como baixar APKs e reinstalar ROMs são ações que vêm acompanhadas por seus próprios riscos de segurança. Por esse motivo, se você não se sentir seguro para mexer nesse tipo de configuração mais avançada ou não quiser correr o risco, é melhor passar longe desse smartphone.

Já se esse não for o seu caso e você também não se incomodar com o fato de o aparelho importado não ter assistência técnica especializada aqui no Brasil, sobram motivos para comprar o Redmi Note 4X. A GearBest aceita a devolução de produtos que vierem com defeito em até três dias, então você pode recorrer a isso se o celular chegar com problemas. O dispositivo une ótimo desempenho, interface amigável, visual bonito, construção forte e boa duração de bateria a um preço contra o qual é difícil competir. É só sucesso para os fãs da Xiaomi.

-----

Opções de compra:

Melhores ofertas do Redmi Note 4x

Com 32 GB de memória interna e 3 GB de RAM:

Com 16 GB de memória interna e 3 GB de RAM

Cupons de desconto TecMundo: