Breivik foi o responsável pela morte de 76 pessoas na Noruega (Fonte da imagem: Wikipedia)

Antes de cometer o massacre que chocou o mundo, no dia 22 de julho de 2011, o norueguês Anders Behring Breivik deixou um manifesto de 1,5 mil páginas, que foi enviado pela internet para mais de mil pessoas.

Entre as mensagens racistas, xenofóbicas e de extrema direita, Breivik também descreveu como o texto deveria ser lido. Em certo trecho, o terrorista explica por que preferiu formatar o seu documento com o Microsoft Word em vez de lançá-lo em PDF:

"Eu decidi enviar este compêndio como um arquivo de Word pelas seguintes razões:

1. O MS Word é um dos softwares mais comuns e populares do mundo;
2. É significantemente mais fácil de editar o documento do que seria em PDF;
3. Um arquivo de Word é muito menor do que o arquivo em PDF (2,5 MB vs. 8-10 MB);
4. A qualidade das imagens é melhor conservada;
5. Distribuição: é mais fácil evitar filtros de spam anexando um arquivo menor do que 5 MB.

Já que eu escolhi enviar o arquivo em formato do Word, você pode extrair, facilmente, todas as informações e imagens dele. Por isso, eu evitei bloquear o documento."

O autor do texto prossegue com explicações sobre como proceder para extrair as imagens do Word, copiando e colando as figuras no MS Paint. Breivik também aconselha que aqueles que desejam ter o manifesto em PDF procurem no Google por conversores entre esses dois formatos.

Como se não bastasse toda a frieza já dispensada durante a compilação do arquivo e planejamento do massacre, o terrorista também dedica um parágrafo sobre como piratear o processador de texto da Microsoft.

Cupons de desconto TecMundo: