O WikiLeaks continua sua cruzada contra informações confidencias trocadas pelos governos. A ideia de que o povo deve saber o que está acontecendo diplomaticamente e até militarmente não é bem recebida pela maioria dos países. Contudo, o site encabeçado por Julian Assange tem feito seu papel e deixou diversos políticos de cabeça quente. Agora, quem pode ficar preocupada é a CIA.

Diversos documentos da Agência Central de Inteligência norte-americana vazaram pelo WikiLeaks. E o mais interessante? Eles ensinam espiões e agentes como burlar a segurança em aeroportos. As dicas vão desde como manter as aparências civis até a atenção aos sotaques utilizados em diferentes países.

A maioria das indicações são lugares-comuns, atitudes que qualquer pessoa com maior cuidado tomaria, por exemplo: não expressar nervosismo (respiração rápida, calafrios, rosto enrubescido etc.), ter familiaridade com seus dados no passaporte e saber falar a língua "nativa de seus documentos", entre outras.

Já em aeroportos específicos, a segurança pode usar monitores com rastreamento facial para buscar expressões nervosas (por exemplo, nas Ilhas Maurício) e barrar passageiros os enviando para segunda triagem caso o sotaque seja turco, como acontece no aeroporto do Iraque.

Para se investigar

Os documentos da CIA vazados no WikiLeaks ainda relatam algo estranho: um dos agentes da instituição foi levado para interrogatório por "apresentar uma roupa muito casual e inconsistente com seu passaporte diplomático". E, embora a equipe do aeroporto tenha encontrado rastros de explosivos em suas malas, ele foi liberado.

Com isso, o WikiLeaks fez perguntas importantes, que provavelmente ficarão sem respostas. "Essa anedota implora uma questão: o que um agente da CIA estava realmente fazendo ao passar por um aeroporto da Europa com traços de explosivos nele, e por que ele foi liberado para ir embora?", perguntou o site de Assange em declaração.

Para ler os documentos vazados no WikiLeaks, acesse este link.

Cupons de desconto TecMundo: