Diante da polêmica envolvendo o bloqueio do WhatsApp por 48 horas a partir da meia-noite de hoje (17), várias empresas, instituições e pessoas estão se pronunciando sobre o assunto. Mark Zuckerberg, por exemplo, disse que esse é um dia triste para o nosso país. Já a Oi foi a única operadora a contestar a ação judicial que pede o bloqueio do mensageiro.

Agora é a vez da Proteste, a Associação Brasileira de Defesa ao Consumidor, levantar a bandeira em favor dos consumidores brasileiros. De acordo com a instituição, essa ação fere o Marco Civil da Internet, sendo, portanto, ilegal.

WhatsApp fora do ar? Saiba como usar o app mesmo com o bloqueio.

O que diz a Proteste?

“Mesmo que se trate de uma medida policial, trata-se de um dano imenso a milhões de usuários sob todos os aspectos. Ao bloquear, mesmo por questões de segurança, a justiça deixa milhões de usuários sem acesso. Para muitos, esse é o único meio de comunicação”, explicou a representante da Proteste, Maria Inês Dolci.

De acordo com os princípios do Marco Civil da Internet, bloquear um serviço de mensagens como o WhatsApp atinge diretamente a suposta neutralidade da rede. Os usuários do aplicativo também são inevitavelmente punidos, sem que tenham qualquer envolvimento ou relação com as investigações que resultaram no bloqueio do mensageiro.

Entenda a treta que acabou bloqueando o WhatsApp no Brasil.

Proteste levanta a bandeira contra o bloqueio do WhatsApp em nosso país. O que você acha? Comente no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: