O WhatsApp tem um lugar de destaque como um dos mensageiros instantâneos mais sólidos e populares do mundo e, depois de ter sido comprado pelo Facebook, muitos desenvolvedores esperavam mudanças na plataforma para que ela se tornasse mais aberta.

Apesar das esperanças, Brian Acton, fundador do aplicativo, deu um banho de água fria em todas as pessoas que esperavam por novidades. Na conferência F8 do Facebook, que é especialmente feita para desenvolvedores, Brian negou qualquer intenção de abrir o WhatsApp para programadores externos.

“É uma coisa muito difícil o que vou dizer, mas não, nós não temos planos para abrir o WhatsApp nesse momento. Não queremos incomodar nossos usuários com mensagens que eles não querem receber. Eu recebo, frequentemente, emails de pessoas que querem criar algo utilizando o WhatsApp como base de comunicação, mas queremos balancear isso de forma a priorizar a experiência dos usuários”, explicou Acton.

Mesmo com a explicação enxuta e educada do fundador, muitos desenvolvedores do auditório se mostraram claramente desapontados e até deixaram o lugar. O Vale do Silício tem uma cultura de compartilhamento bastante difundida, e a maioria das plataformas atuais oferece algum tipo de API ou suporte para que terceiros consigam integrar serviços.

Pelo menos por enquanto, usuários que insistirem em usar clientes não-oficiais para o WhatsApp continuarão sendo banidos, demonstrando que a companhia quer manter o seu comunicador fechado e focar na estabilidade da sua rede.

Cupons de desconto TecMundo: