Relembre os 9 melhores vilões de jogos de Super Nintendo

4 min de leitura
Imagem de: Relembre os 9 melhores vilões de jogos de Super Nintendo
Imagem: Square Enix

Não importa o segmento do jogo, é inegável: para que uma boa trama ou desafio exista, o pacote deve trazer em seu conteúdo um bom vilão. Nesse quesito, sua forma ou motivação pode variar, mas sempre teremos como resultado um confronto que vai gerar satisfação no final.

Pensando nisso, reunimos nessa lista alguns vilões memoráveis a dar as caras em jogos do Super Nintendo. Sem mais delongas, confira a lista (que pode conter alguns spoilers, apesar de serem jogos antigos).

1. Sigma (Mega Man X)

Com o nascimento de uma nova saga para o robô azul no Super Nintendo, a Capcom precisava encontrar um oponente à altura. A resposta veio com Sigma, líder dos Mavericks e seu principal oponente em vários jogos.

Já no primeiro game em que apareceu, Sigma mostrou que não havia entrada no confronto com X para se deixar ser derrotado facilmente. Quem tem boa memória provavelmente conseguirá revisitar o momento em que ele fica enorme em sua última forma, sendo preciso usar suas mãos com espinhos na parte de baixo como plataforma para acertar a cabeça na parte mais alta da tela. Detalhe: apenas uma arma era capaz de causar mais dano nele.

2. Kefka (Final Fantasy III)

A princípio, o visual de Kefka em Final Fantasy III não entregava muito de sua maldade, mas conforme a trama se desenrolava percebíamos que estávamos diante do maior vilão de um Final Fantasy já visto até então (e muitos ainda o consideram um dos melhores antagonistas da franquia).

Apesar de a batalha final contra ele (que alguns acreditam ser uma recriação de A Divina Comédia) não ser das mais complicadas, ele soube provocar raiva nos jogadores de formas muito variadas ao longo da saga — entre elas envenenar um rio e, claro, a clássica e inconfundível gargalhada.

3. Lavos (Chrono Trigger)

Lavos é mais um daqueles vilões que não possui muitas falas (nenhuma, pra ser sincero), e ganhou um lugar nessa lista por um simples motivo: ter gerado sentimentos variados de revolta nos jogadores. Vale lembrar que, por conta de um de seus golpes, Crono morre e acaba abandonando o grupo por um tempo.

Claro, com tantos anos desde o lançamento do título original para Super Nintendo muitos certamente já superaram isso, mas à época esse ato com certeza fez a galera ficar ainda mais sedenta por vingança.

4. Andross (Star Fox)

Star Fox surgiu como um game diferente e à frente do seu tempo quando foi lançado. Logo, seria justo que ele também tivesse um vilão de mesmo calibre — e daí temos o nosso confronto final com Andross.

Confesse: você esperava encontrar uma cabeça flutuante gigantesca como seu último oponente neste game? Provavelmente não, o que só elevou o fator surpresa para muitos nessa batalha final.

5. King K. Rool (Donkey Kong Country)

As motivações de King K. Rool podem até não ser as maiores para fazer dele um vilão casca-grossa, mas ele possui méritos para entrar em nossa lista. Afinal, em quantos jogos você lembra de ter visto os créditos começarem a subir para pouco depois se tocar de que inimigo ainda não havia se dado por vencido?

6. Giygas (EarthBound)

Giygas é provavelmente o chefe mais bizarro dessa lista, e um dos poucos que talvez conseguiria causar pesadelos em muitas crianças que conseguiram a proeza de chegar até esse confronto.

Além de um formato assustador, esse vilão de um dos melhores RPGs de Super Nintendo ainda precisava de uma estratégia diferente para ser derrotado. Aliás, isso nem é tão mérito do protagonista, mas de Paula, que com sua habilidade de rezar conseguiu canalizar a energia necessária para, de uma vez por todas, colocar um fim nos planos do oponente deste game.

7. Culex (Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars)

Ok, Culex não o último oponente e sequer o vilão principal de Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars. Na verdade, estamos diante de um chefe opcional que, na nossa opinião, deveria liberar um segundo final no game por conta de sua dificuldade.

Quem se divertiu com o game na época talvez se lembre que esse convidado que faz uma analogia à série Final Fantasy não deu moleza para Mario, Geno e companhia, exigindo um pouco de paciência e alguns bons minutos de combate antes de se dar por vencido.

8. Baby Bowser (Super Mario World 2: Yoshi's Island)

Super Mario World 2: Yoshi's Island é um game envolvendo Mario e Luigi em suas versões bebê. Logo, para combinar com essa temática era preciso encontrar um chefe final à altura, com a resposta vindo de Baby Bowser.

Porém, ele não aparecia na tela em sua forma fofinha, mas praticamente como um Megazord pronto para acabar com a saga de Yoshi e Mario o mais rápido possível. Por conta disso, certamente estamos diante de outro chefe que proporcionou um confronto memorável ao final dessa divertida (e colorida) jornada.

9. Mana Beast (Secret of Mana)

Vamos fechar nossa lista com o confronto final de Secret of Mana. Aliás, vale aqui um pequeno esclarecimento: a Mana Beast NÃO é Flammie, o dragão que ajudou o trio de protagonistas em boa parte da jornada neste game.

Ao chegar na minúscula área para o confronto final em Mana Fortress, os heróis são atacados por uma rajada de fogo e, pouco depois, surge diante deles um dragão enorme pronto para devorar qualquer coisa em seu caminho. Essa batalha se torna ainda mais significativa quando descobrimos que, após derrotá-lo, o Sprite que está no grupo deixará de existir, sobrando apenas o herói e a garota para contar o que aconteceu.


Fontes