New World é um MMO bem promissor com alguns conceitos antiquados

7 min de leitura
Imagem de: New World é um MMO bem promissor com alguns conceitos antiquados
Imagem: New World/Divulgação
Avatar do autor

Analisar um MMORPG nunca é uma tarefa fácil. Não porque sejam jogos mais desafiantes que o normal, mas porque a quantidade de conteúdo é realmente massiva e pode ser difícil absorver tudo ou ter uma impressão concreta após passar dezenas de horas naquele novo mundo. Com New World, o já famoso MMO da Amazon, isso não foi nem um pouco diferente.

Mesmo depois de participar de testes prévios com a imprensa, de jogar o Beta fechado e o aberto e de continuar a aventura na versão final lançada no fim de setembro, ainda é complicado fazer afirmações sobre um game que está fadado a mudar constantemente ou oferecer experiências diferentes dependendo do jogador.

Ainda assim, conseguimos ter uma boa noção do que é explorar New World nesse momento raro que é o comecinho de um MMO inédito, algo que muitos de nós não experimentamos há alguns anos. Se você ficou curioso para saber mais, é só continuar de olho na análise completa a seguir.

O início de um novo mundo

Como quase todo MMO, New World coloca o jogador em um mundo cheio de possibilidades e no qual não há recursos, conhecimento ou cabeça para aprender tudo o que precisa nas primeiras horas de jogo. Quem nunca experimentou um game assim nem deve se preocupar, já que isso é totalmente normal e pega-se o jeito com o tempo. O bom é que as primeiras missões são bem simples e estão lá para ensinar os conceitos mais básicos para sobreviver e progredir na jornada.

Isso inclui coisas como batalhar com inimigos, coletar materiais e construir ferramentas e suprimentos. Felizmente, por estar totalmente em nosso idioma, o que inclui não só os textos, mas também as falas que são dubladas em português, acaba sendo bem mais fácil entender tudo o que deve ser feito e para onde se deve ir.

O legal é que não serão só os novatos que terão bastante o que aprender, já que New World tem alguns conceitos bem diferentes de outros MMOs convencionais. A gente percebe isso logo de cara, quando não é preciso escolher uma classe na fase de criação do personagem. Em vez disso, há um sistema de armas que funcionam como as classes tradicionais, como tanque, curandeiro e o sempre disputado DPS (causador de dano).

Atualmente, há 11 armas para testar, sendo que a eficiência delas está ligada diretamente aos pontos distribuídos em 5 atributos bem tradicionais: força, destreza, inteligência, foco e constituição. Também há pontos a serem alocados em habilidades específicas de cada arma que será usada nos combates.

O MMO da Amazon conseguiu conquistar muitos fãs em pouco tempoMMO da Amazon conseguiu conquistar muitos fãs em pouco tempo.Fonte:  New World/Divulgação 

Vale dizer que há dois estilos de luta para as armas, o que significa que pode-se investir em ser um usuário de arco e flecha mais assassino ou em alguém que causa mais debuffs nos inimigos em área, por exemplo. Já que é possível usar duas armas ao mesmo tempo, a variedade do que se é capaz de fazer é bem grande. Fora isso, sempre dá para melhorar e combinar alguns bônus dependendo dos traços da armadura e das armas, um conjunto que pode resultar em builds bem legais tanto para o conteúdo PvE como o PvP.

A solidão no meio da multidão

Se antigamente havia muitos MMOs com diversas atividades que precisavam ser feitas em grupo, há uma boa vertente de jogos mais novos que permitem fazer praticamente tudo sozinho, se preferir. Em New World, esse também é o caso, já que é possível se aventurar sem companhia e sem grandes dificuldades, mas sempre há um senso de comunidade caso o jogador queira socializar em algum momento. Isso inclui o fato de dar para comprar uma casa nas cidades que visitar ou só ter como vender ou comprar itens de outros jogadores em vez dos NPCs, tudo via uma loja interna em que as pessoas podem listar ou procurar o que desejam por um preço mais interessante.

A partir do nível 25, as expedições (dungeons para cinco jogadores) se abrem para quem tiver interesse em combates mais desafiantes em grupo. Considerando que as expedições mostram mais detalhes da trama de New World e equipamentos únicos de recompensa, acaba valendo a pena dar uma chance a elas mesmo se não for tão fã de ter de depender de uma equipe para completar missões mais difíceis. No momento, há seis dessas dungeons no game, disponibilizadas ao jogador com base em seu nível, o que as torna mais espaçadas e, por isso, mais interessantes em vez de cansativas.

O conceito de armas no lugar de classes tradicionais é bem interessanteO conceito de armas no lugar de classes tradicionais é bem interessante.Fonte:  New World/Divulgação 

Um fator que pode fazer se sentir mais parte de um grande grupo é o sistema de facções, que tem um papel bem importante no jogo. Nas primeiras horas de exploração, o player é apresentado às três opções: Saqueadores, uma força militar poderosa que deseja estabelecer uma nação livre; Aliança, uma ordem fanática e empenhada em limpar o mundo daqueles que consideram hereges; e Sindicato, uma organização mais intelectual que planeja usar o conhecimento para dar início a uma nova era iluminista.

Mesmo que não seja fã das ideias das facções, é preciso escolher uma delas para prosseguir nas missões e ver os efeitos de fazer parte de um grupo bem rápido. As cidades são controladas por guildas, que por sua vez pertencem às facções, então não deve ser novidade notar uma rivalidade palpável entre jogadores de diferentes grupos, especialmente no chat de texto. Isso é ótimo para expandir o sentimento do que é fazer parte de um MMO, ainda mais para quem planeja duelar contra outros jogadores nos modos PvP.

É claro que dá para só escolher uma facção e torcer para ela ter um poder grande sobre alguma das regiões ou cidades em que for passar mais tempo. Toda essa liberdade de definir como jogar e de não ter de se preocupar tanto com as classes definitivamente vai ter um bom apelo para aqueles que sempre se sentiram intimidados em começar a jogar um MMO, o que pode explicar a grande popularidade de New World em tão pouco tempo. Só que isso já começa a lembrar alguns probleminhas que encontramos no caminho.

O futuro ainda repete o passado

É difícil pensar em um MMO que tenha sido lançado em um estado realmente ideal, pois é preciso tempo para que ele se transforme em um game que realmente ofereça algo que cative os jogadores na medida certa. Um exemplo bem recente disso é The Elder Scrolls Online, que ficou em desenvolvimento por 7 anos e teve um lançamento tão conturbado que os responsáveis tiveram de repensar todo o modelo do game poucos meses após a estreia. Seguindo o feedback dos fãs, eles mudaram praticamente tudo em menos de 1 ano e continuaram a ouvir os jogadores ao realizar mudanças ou oferecer conteúdo novo nos anos seguintes, conseguindo garantir que o game tivesse sua marca como um dos melhores MMOs modernos.

Infelizmente, New World ainda usa conceitos antiquados de outros MMOs antigosInfelizmente, New World ainda usa conceitos antiquados de MMOs antigos.Fonte:  New World 

Usamos esse exemplo para dar mais contexto do que achamos que pode acontecer com New World, que, embora não esteja em um estado ruim no momento, ainda está claramente longe de oferecer uma experiência sólida. Bugs são encontrados com facilidade, e um deles travava a movimentação independentemente do movimento da câmera e forçava a reiniciar o jogo para que tudo voltasse ao normal. Em um título que ainda tem filas dependendo do servidor e do horário em que se decide jogar, isso mata parte da empolgação em algumas sessões, especialmente quando esse problema ocorre três vezes seguidas e exige três reinicializações do game.

Também há atividades que podem se tornar tediosas após algum tempo para aqueles que já se aventuraram em outros MMOs. Infelizmente, ter de ir atrás de tantos materiais para subir o nível de coleta de cada um deles para então ser capaz de pegar materiais mais valiosos também se torna cansativo, ainda mais para quem já está farto de fazer grind em tantos jogos desse tipo. Isso também vale para as missões, já que muitas repetem as tradicionais tarefas de “vá aqui, mate tantos inimigos e leve tal item para essa pessoa específica naquela cidade distante e depois volte para falar comigo”.

Considerando que New World é um MMO fresquinho e com algumas ideias novas bem interessantes, não seria melhor tentar rever alguns conceitos antiquados desse gênero e reinventá-los em vez de simplesmente reproduzi-los? É essa mistura do velho e do novo que deixa o título em um lugar meio estranho e o que nos previne de recomendá-lo para quem só estiver afim de experimentar um bom RPG cheio de coisas para fazer.

O bom é que tudo isso pode ser resolvido se a Amazon ouvir os jogadores e levar os feedbacks em consideração, já que todo MMO é realmente um trabalho em constante progresso. Considerando o grande potencial que o game já tem, esse empenho extra pós-lançamento pode ser o empurrãozinho que New World precisa para se tornar um real novo mundo para os MMOs da nova geração.