China reduz drasticamente o tempo que menores podem jogar online

2 min de leitura
Imagem de: China reduz drasticamente o tempo que menores podem jogar online
Imagem: Pixabay/StockSnap/Reprodução

Os reguladores chineses reduziram, nesta segunda-feira (30), o tempo em que os jogadores menores de 18 anos podem passar em games online: para 1 hora às sextas-feiras, fins de semana e feriados. Isso foi em resposta à crescente preocupação com o vício em jogos, informou a agência oficial de notícias Xinhua. A medida deve impactar cerca de 110 milhões de jogadores.

Com a mudança, os jovens terão praticamente apenas 3 horas de jogatina por semana. As regras, divulgadas pela Administração Nacional de Imprensa e Publicação da China, estabelecem que os usuários menores de 18 anos podem jogar apenas das 20h às 21h no horário local na sexta, sábado e domingo, bem como em feriados. Antes, o período total permitido para os menores era de três horas nos finais de semana e feriados, e 1,5 hora nos outros dias da semana.

Fiscalização das regras

As empresas de jogos online serão impedidas de fornecer serviços de jogos a menores de qualquer forma fora desse horário. Para tanto, precisam garantir que instalem sistemas de verificação de nomes reais, segundo a agência que supervisiona o mercado de video games do país.

A frequência e a intensidade da fiscalização nas companhias de jogos online serão aumentadas, para garantir que estão estabelecendo limites de tempo e sistemas contra a dependência.

Vício generalizado

Novos jogos online precisam ser aprovados por autoridades chinesas antes de serem oferecido ao público infantil do país.Novos jogos online precisam ser aprovados por autoridades chinesas antes de serem oferecido ao público infantil do país.Fonte:  Freepik/pvproductions/Reprodução 

Em julho, um artigo do Economic Information Daily, uma publicação estatal chinesa, disse que o vício em jogos online entre as crianças está “generalizado” e pode impactar negativamente seu crescimento. O texto foi excluído algumas horas após a publicação, mas derrubou as ações da Tencent e da NetEase.

O artigo dizia que em 2020, mais da metade das crianças chinesas eram míopes, e os jogos online afetavam sua educação. O sentimento expressado no texto não é tão novo. Há muito tempo, o governo chinês se preocupa com o impacto dos video games sobre os menores.

Em 2018, Pequim congelou novas aprovações de jogos devido à preocupação de que os jogos estivessem afetando a visão dos jovens. Na China, os games online exigem o aval dos reguladores, o que eventualmente gera casos de censura, como é o caso de PUBG Mobile, que tem uma versão especial no país chamada Game for Peace.