Entrevistamos o Bruno Motta, gerente sênior do Xbox no Brasil!

9 min de leitura
Imagem de: Entrevistamos o Bruno Motta, gerente sênior do Xbox no Brasil!
Avatar do autor

A E3 de 2021 teve várias novidades interessantes ao longo da semana, mas uma das conferências que mais chamou a atenção do público foi a da Microsoft. O evento mostrou trailers de jogos sem parar, tanto com títulos que a gente já sabia que estavam em desenvolvimentos ou com jogos totalmente inéditos que foram anunciados nesse showcase da empresa.

A gente aproveitou esse momento tão positivo para a Microsoft para fazer uma entrevista com o Bruno Motta, que é o gerente sênior do Xbox no Brasil. Caso tenha ficado curioso, você pode conferir a nossa conversa completa a seguir!

A gente sabe que a Microsoft já fabricou seus consoles aqui antes, mas hoje o Xbox Series X e S são produtos importados. A empresa ainda considera mudar esse plano de negócios e voltar a produzir seus consoles por aqui quando for algo mais viável?

Confirmando, hoje nossos consoles são importados. Boa parte do meu trabalho aqui na Microsoft é realmente de tomar essa decisão de modelos de negócios, mas o que eu posso te dizer é que a gente sempre avalia qual o melhor modelo de negócio para a gente ter o melhor preço possível para o nosso consumidor final. Então, por hora a gente trabalha no modelo importado e a gente continua avaliando se faria sentido voltar a produzir no Brasil.

O Bruno Motta nos contou mais sobre as estratégias da Microsoft no mercado brasileiroO Bruno Motta nos contou mais sobre as estratégias da Microsoft no mercado brasileiroFonte:  Xbox/Divulgação 

Desde que os consoles da nova geração foram lançados no ano passado, a gente viu muitas notícias sobre a dificuldade dos fabricantes em manter um estoque que cumprisse a demanda em várias regiões. A Microsoft até chegou a comentar que esperava que a situação continuasse assim pelo menos até o mês de junho. Vocês perceberam os efeitos dessa escassez no Brasil também?

Posso te dizer que é uma escassez global e que vem afetando vários setores. Infelizmente não é só na nossa indústria, mas a gente vem trabalhando com nossos parceiros tanto na manufatura e indústria quanto com varejistas para agilizar a produção e transporte para fazer os nossos produtos chegarem na mão dos consumidores o mais rápido possível.

Com alguns consoles sendo vendidos apenas em lojas online atualmente, como está a distribuição do Xbox Series X e S no Brasil no momento?

A nossa estratégia de distribuição foi inclusiva, já que ela trouxe parceiros de várias regiões do Brasil, tanto de loja física quanto de loja virtual. Então a gente tem produto em lojas físicas em algumas redes. Agora, realmente é uma questão de quantidade de produtos que a gente vai conseguir trazer, que aí eu remeto para a falta de envios.

A gente sabe que o modelo de E-Commerce tem sido mais fácil dos consumidores encontrarem os produtos, fora o contexto atual em que realmente as pessoas têm visitado menos lojas físicas.

Como vocês veem o  impacto do Game Pass em países onde os jogos são vendidos por um valor mais elevado, como é o caso do Brasil?

Posso dizer que o Game Pass realmente caiu no gosto do brasileiro, a gente sabe que o brasileiro gosta dos modelos de assinatura, de ter como pagar um valor mensal mais baixo e ter acesso a um catálogo gigantesco de muita qualidade.

O Game Pass para a gente no Brasil é fundamental dentro da nossa estratégia e a gente tá realmente muito feliz com os resultados que a gente tá alcançando com ele, tanto o Game Pass no console, o Game Pass Ultimate e inclusive com o Game Pass para PC, que também é uma área que a gente vem colocando muito investimento e foco. Até conectando com os anúncios dessa E3, assim como tivemos o Microsoft Flight Simulator no lançamento no Game Pass de PC, vamos ter o Age of Empires 4 também disponível no dia de lançamento.

Ainda sobre o Game Pass no PC, temos o benefício de dar acesso aos consumidores ao EA Play direto com a nossa assinatura, então posso dizer que a gente no Brasil tá muito feliz com o que a gente está fazendo com a nossa assinatura no console e no PC.

A Microsoft comentou recentemente que estava explorando novas ofertas de assinatura do Game Pass para atingir um público maior em locais com uma realidade financeira diferente. Acha que é possível vermos planos ainda mais acessíveis para os brasileiros?

No evento recente envolvendo uma conversa entre o Phil Spencer e o Satya Nadella, a gente soltou muita informação legal, mas acho que a principal que impacta o nosso mercado é que a gente realmente vem trabalhando em beta com a nossa solução de cloud gaming e a gente vai lançar no Brasil como um produto final ainda esse ano e esse benefício vai ser parte da oferta do Game Pass Ultimate.

Além disso, a gente comentou que a gente tá expandindo para novos dispositivos e isso faz parte sim da nossa estratégia e eu diria que além do que eles comentaram, todas essas experiências são com o objetivo de atingir três bilhões de jogadores no mundo. Cada um tem um jeito de jogar e a gente acredita que essas experiências são todas adicionais a essas ofertas que a gente já tem.

A gente continua com fortaleza no console e no PC e vem expandindo para novas plataformas, sendo o mobile a nossa próxima fronteira.

Como o Bruno mencionou, os assinantes do Game Pass também têm acesso ao EA PlayComo o Bruno mencionou, os assinantes do Game Pass também têm acesso ao EA PlayFonte:  Xbox/Reprodução 

Nessa conversa do Phil e do Satya, eles também falaram sobre como estão trabalhando com fabricantes de TV para trazer a experiência Xbox sem que a gente precise de um hardware extra, além de um tipo de dispositivo de streaming para jogos na nuvem que seja possível usar em qualquer TV e monitor. Acha que é possível que a gente veja a chegada dessas tecnologias no Brasil?

O papel dessa conversa que os dois tiveram foi realmente mostrar qual o futuro dos games e a gente sabe que tudo isso vai ser uma jornada de construção dessa tecnologia. Como eu mencionei, a gente quer chegar em três bilhões de jogadores, só que para fazer isso, a gente precisa ser muito inclusivo no que diz respeito a plataforma.

Então acredito que vai realmente ser uma jornada até a gente chegar lá, sendo que o que a gente tem pronto hoje é a fortaleza no console e PC. Estamos trazendo ainda esse ano como produto final o cloud gaming para celulares e em outro momento no futuro vamos trabalhar com TV e outros dispositivos.

Indo mais para esse lado do streaming, a Microsoft confirmou que o Brasil e alguns outros países vão receber os jogos na nuvem através do Game Pass Ultimate ainda esse ano. Você sabe se isso inclui a possibilidade de jogar no navegador ou se seria apenas em smartphones e tablets nesse primeiro momento?

Para o Brasil, a gente está pronto para lançar ainda esse ano o cloud gaming com os nossos datacenters. Inclusive, a gente tá terminando as atualizações globais do hardware que roda no datacenter, trazendo o produto Xbox Series  X para ficar no datacenter.

Além disso, a gente tá também trazendo o browser, que é algo que está chegando globalmente, sendo que primeiro isso vai para os 22 mercados que a gente já está presente com o cloud gaming. Em um momento futuro, que pode casar ou não com o nosso lançamento de cloud gaming aqui, a gente também vai trazer a oferta de streaming via browser no Brasil.

O plano da Microsoft é trazer os jogos para qualquer lugar, seja no console, PC ou através de streamingO plano da Microsoft é trazer os jogos para qualquer lugar, seja no console, PC ou através de streamingFonte:  Xbox/Divulgação 

Por enquanto a versão do xCloud que está em fase de testes aqui no Brasil é a de Android, mas há uma previsão de quando haverá testes para dispositivos iOS?

Ainda não temos novidades sobre testes de xCloud em dispositivos IOS. O que eu posso te dizer de forma geral é que a gente é bastante exigente no nível de qualidade de entrega, então a gente só vai fazer o lançamento oficial de cloud gaming no Brasil quando a gente entender que a nossa solução tá robusta o suficiente para os nossos fãs.

Dá para dizer que o Brasil geralmente fica meio esquecido por outras empresas quando o assunto é streaming de jogos na nuvem. O que acha que fez a Microsoft ter uma postura diferente para trazer o xCloud para cá?

Eu não posso comentar pelas outras empresas, mas posso te dizer que na visão da Microsoft, o Brasil e o mercado de games no Brasil é gigantesco. Pela Newzoo, o Brasil é o quarto maior mercado do mundo, então a gente entende a importância do mercado brasileiro. A gente tá aqui há anos e temos consistentemente investido no mercado e garantindo uma presença forte nossa por aqui.

É óbvio que o Brasil não é um mercado simples de se atuar, a gente conhece o nosso país, mas a gente entende este como um mercado muito relevante e vamos continuar investindo no Brasil.

Algo muito interessante é o fato da Microsoft ter decidido trazer duas opções de console para essa nova geração. Vocês conseguem perceber o impacto que o Xbox Series S, que é um produto mais barato e ainda oferece um bom poder de processamento, em um país como o Brasil, já que muitos jogadores não tem como investir em consoles mais caros?

Uma das grandes inovações que a gente trouxe nessa nova geração foi essa estratégia de uma dupla de consoles. Um console que é o suprassumo do poder de processamento em jogos de consoles e essa oferta com um preço final mais acessível ao consumidor ainda sem abrir mão de performance.

O Xbox Series S é um console de nova geração e vem performando muito bem e é inclusive onde eu venho tendo a maior parte das minhas horas de jogo no momento e estou bastante satisfeito com tudo o que eu tenho no Series S. Então, sim, faz parte da nossa estratégia e a gente vem sendo bem sucedido no que a gente se propôs a fazer.

No Brasil, a gente ainda vê bastante a mentalidade de guerra de consoles, o que faz com que muita gente tenha uma certa resistência na hora de adquirir um produto ou serviço da empresa que considera rival. Você acha que algo mais abrangente como o Game Pass e xCloud possuem o potencial de quebrar um pouco desse estigma e conquistar um público ainda maior para a comunidade Xbox no Brasil?

Como empresa, a gente é extremamente inclusivo e a gente vem se preparando e trazendo ofertas para os consumidores jogarem onde eles quiserem. Se você estiver na praia ou no parque, com o cloud gaming a gente pretende chegar lá para você. Então na nossa visão, se você é um jogador a gente gostaria de ser uma oferta de produto bem consistente para você.

Para encerrar, a gente não pode deixar de mencionar como tantos leitores do Voxel são realmente apaixonados pelo Xbox, então tem algo que você gostaria de dizer para eles?

A gente é muito grato a todos os fãs de Xbox que leem sobre a gente no Voxel. A gente tá muito empolgado e feliz depois do nosso showcase com os 30 jogos que a gente anunciou, dos quais 27 vão estar no Xbox Game Pass. Então, nesse final de ano, de junho até dezembro, a gente tem quatro novos jogos chegando agora e ainda a expansão de Sea of Thieves com o Pirate's Life.

Além disso, no showcase a gente anunciou duas novas franquias com Starfield e Redfall, além de ter soltado um teaser de Contraband. Então se eu pudesse resumir aqui: estamos muito felizes com tudo o que a gente mostrou e sabemos que vão ser seis meses excelentes pela frente e não tem hora melhor para você entrar no ecossistema Xbox!


Entrevistamos o Bruno Motta, gerente sênior do Xbox no Brasil!