Diablo Immortal revela nova classe, áreas e melhorias no multiplayer

5 min de leitura
Imagem de: Diablo Immortal revela nova classe, áreas e melhorias no multiplayer
Imagem: Blizzard

Depois de um alfa técnico bem-sucedido, o jogo free to play Diablo Immortal avançou para o seu alfa fechado nos dispositivos Android e iOS, o que serviu de gancho para a Blizzard anunciar uma série de recursos inéditos para o que promete ser um dos jogos mobile mais caprichados já feitos!

A convite da produtora, assistimos a uma apresentação exclusiva e conversamos com Wyatt Cheng, o diretor do jogo, e Scott Schicoff, o seu principal game designer. Eles nos explicaram o que esperar desse teste, que aumentou o nível máximo dos personagens para 55 e permitiu a nós sentir um gostinho do conteúdo do endgame, além de explorar novas áreas mais avançadas!

Novos sistemas e classe

Depois de aprofundar as suas mecânicas na última BlizzConline, os principais atrativos dessa nova etapa de teste foram a apresentação de classe, áreas e masmorra novas, além do Ciclo de Conflito. Com o sistema inédito de herança e transferência de essência, os jogadores agora conseguem pegar a essência dos itens lendários e fazerem outros herdarem os seus poderes, o que ajuda bastante a personalizar sua build.

Com a chegada de um novo alfa fechado, Diablo Immortal trouxe a classe Cruzado ao jogo mobileCom a chegada de um novo alfa fechado, Diablo Immortal trouxe a classe Cruzado ao jogo mobile.Fonte:  Blizzard 

Outro recurso apresentado com bastante destaque foi o Infernicário, onde poderemos enfrentar e aprisionar chefes muito difíceis. O Infernicário do jogador sempre poderá ser melhorado com a ferreira Charsi, que usará a Escória para refiná-lo como Escória Infernígnea. “A forma como isso funciona é que por volta do seu nível 40 você ganha acesso ao Infernicário, que vai ficar com você, crescer e progredir conforme você completa as atividades”, explicou Scott.

“A Escória é um recurso que você precisa para aprimorar o seu Infernicário e, cada vez que você o sobe de nível, fica um pouco mais forte. Em determinados intervalos um slot se abre no Infernicário e é aí que você vai precisar derrotar os chefes, já que são eles quem dropam os Restos Demoníacos.

Quando você os colocar no Infernicário terá buffs adicionais, mas não precisa se preocupar em fazer isso dentro de um nível de tempo predeterminado, só em progredir o bastante para ter novos slots. Cada chefe será lançado mensalmente, mas eles não somem, então não precisam se preocupar”, de acordo com Scott.

Lutar contra chefões bem complicados é a chave para aprimorar o seu InfernicárioLutar contra chefões bem-complicados é a chave para aprimorar o seu Infernicário.Fonte:  Blizzard 

Para quem queria ainda mais classes para jogar, o Cruzado chega diretamente de Diablo III para apimentar os confrontos de Immortal! Como esperado, essa é uma classe de médio alcance — híbrida entre golpes corpo a corpo e feitiços de média distância — capaz de resistir a bastante dano graças a sua forte armadura.

Áreas novas chegando

Para quem curte explorar masmorras, a Tundra Congelada esconde um novo desafio na forma da Caverna do Eco. Lá, uma relíquia chamada Queimadura Gélida precisa ser coletada, ao custo de trucidar dezenas de inimigos em seu caminho, claro.

Já os novos ambientes impressionam pela diversidade e pelas belas escolhas na direção artística. Uma área é o Monte Zavain, que está situado nos cantos mais profundos das Montanhas Tamoe e foi infestado pelos caprinos ou Khazra. Já a Tundra Congelada, como o próprio nome indica, é ermo e cheio de neve cercando o Monte Arreat. Lá, os seus inimigos serão os servos restantes de Baal, o Senhor da Destruição.

Até personagens já presentes no primeiro teste, como o Bárbaro, estão com animações mais fluídasAté personagens já presentes no primeiro teste, como o Bárbaro, estão com animações mais fluídas.Fonte:  Blizzard 

Se já temos novidades sobre áreas jogáveis, o mesmo não se pode dizer quanto ao suporte a joysticks. “Apesar de não darmos suporte durante o nosso primeiro alfa técnico, esse foi certamente um dos recursos que mais foram pedidos pelos jogadores”, ponderou Wyatt. “Então quando dizemos que estamos avaliando isso, é porque é algo que está ativamente em nossas investigações", ele afirmou.

"Adicionar isso a Diablo Immortal é incrivelmente desafiador, então embora a gente ame a ideia e estejamos tentando torná-la realidade, ainda é algo que, nesse momento, não podemos nos comprometer a garantir com certeza que estará no jogo final. Mas é sim algo em que estamos ativamente trabalhando agora!”

Novidades no multiplayer

A Blizzard também deu maiores detalhes de como funcionarão os modos "jogador contra jogador" de Diablo Immortal. No Ciclo de Conflito, todos somos chamados de Aventureiros, e a ideia é que podemos receber mais fama e riquezas por nossos serviços prestados ao garantir a segurança dos habitantes do Santuário.

Aqueles que conseguem chegar ao topo do Ciclo de Conflito passam a ser conhecidos como os Imortais, um seleto grupo de elite. Quem os vigia são as Sombras, reunidas e grupos chamados Casas Sombrias para garantir que eles estejam sempre defendendo o Santuário do Inferno Ardente. Se uma Casa Sombria ficar forte demais, ela pode até almejar a posição de Imortal e substituir o antigo guerreiro.

No alfa fechado já era possível subir até o nível 55 e testar parte do conteúdo do endgame, além de fortalecer ainda mais os heróisNo alfa fechado, já era possível subir até o nível 55 e testar parte do conteúdo do endgame, além de fortalecer ainda mais os heróis.Fonte:  Blizzard 

Tanto os Imortais como as Sombras e Aventureiros disputam juntos o Campo de Batalha, que é uma arena PvP de oito contra oito jogadores, que são então divididos em times de defesa e de ataque. Quem está na ofensiva precisa eliminar os Guardiões e escoltar Ídolos Fervorosos, a única forma de destruir o Coração Ancestral do time na defesa. Já os defensores precisam resistir até o fim do tempo ou realizar abates o suficiente.

Embora o jogo continue sem uma data de lançamento marcada, a Blizzard trouxe boas novas no que diz respeito aos seus requisitos mínimos, já que o alfa técnico era bastante exigente. “Na fase anterior colocamos um piso de entrada relativamente alto, o que foi feito apenas para garantir que o jogo estivesse rodando bem o bastante”, explicou Wyatt.

“Faz parte das nossas aspirações aumentar o número de dispositivos compatíveis. Já nesse alfa fechado conseguimos adicionar mais uma geração antiga de aparelhos Android e esperamos poder continuar ampliando a demografia e suporte a máquinas mais velhas, mas como a nossa meta é fazer um jogo triple A com visual espetacular, há limites para o quanto poderemos retroceder em hardwares compatíveis”, ele disse.

Por tudo o que pudemos ver até agora, Diablo Immortal realmente parece estar caminhando para se tornar um dos jogos mobile mais impressionantes já feitos. Mas e você, o que achou dessas novidades todas? Está ansioso para o lançamento do jogo? Comente a seguir!