Programador brasileiro conserta um dos maiores problemas do SNES

1 min de leitura
Imagem de: Programador brasileiro conserta um dos maiores problemas do SNES
Imagem: https://www.youtube.com/watch?v=LNPZTq5LEq0

O programador brasileiro Vitor Vilela, expert em hack de ROMS do Super Nintendo, continua a impressionar a comunidade gamer com seus feitos, sendo o responsável por atualizar os chips de cartuchos para versões mais modernas e sem sofrer o impacto de um dos maiores problemas do SNES: a baixa velocidade de clock da CPU.

O chip SA-1, também conhecido como "Super Accelerator 1", chegou de forma tardia ao Super Nintendo, algo que prejudicou o desempenho de alguns jogos que não receberam a atualização em seus cartuchos. Dessa forma, nem todos os títulos puderam se beneficiar de melhorias como a redução no processamento da CPU, memória RAM mais veloz e outros recursos de mapeamento.

Felizmente, através de hack e programação, o desenvolvedor de softwares brasileiro Vitor Vilela está contornando um dos maiores problemas do console. Ao corrigir as falhas de desaceleração em games como Gradius III, Contra III, Super Mario World, Super R-Type, Super Castlevania IV e muitos outros, o programador dá uma nova vida aos jogos, que fluem de uma forma totalmente diferente de suas versões originais. Confira abaixo o resultado.

Apesar de não ser uma solução definitiva para o problema, segundo as próprias palavras do criador do hack "FastROM", é inegável a mudança na qualidade dos jogos, especialmente se comparados com os originais, que sofriam com travamento e lentidão durante a jogatina.

O quê você achou dessas novas versões refeitas dos clássicos do SNES? Deixe sua opinião nos comentários.