Remoção de Cyberpunk 2077 da PSN foi decisão mútua da Sony e CDPR

1 min de leitura
Imagem de: Remoção de Cyberpunk 2077 da PSN foi decisão mútua da Sony e CDPR
Imagem: https://verietyinfo.com/canada/emergency-braking-sony-removes-cyberpunk-2077-from-playstation-store/

Em comunicado a investidores, a CD Projekt Red emitiu uma declaração oficial sobre a remoção de Cyberpunk 2077 da PS Store, que ocorreu logo depois do estúdio iniciar um período de reembolso para jogadores do PS4. Segundo a desenvolvedora, a retirada do game foi decidida pela Sony após uma discussão entre ambas as partes sobre como seria dado o processo de devolução do dinheiro.

Confira abaixo a nota na íntegra:

"Assunto: Suspensão temporária da disponibilidade de Cyberpunk 2077 na PlayStation Store

Base jurídica: art. 17 seção 1 do Regulamento de Abuso de Mercado - informações privilegiadas

O Conselho de Administração da CD PROJEKT S.A. com sede em Varsóvia (doravante referida como "a Empresa") divulga publicamente a decisão da Sony Interactive Entertainment (doravante referida como "SIE") de remover Cyberpunk 2077 da PlayStation Store até aviso prévio. A decisão foi tomada após nossa discussão com a SIE sobre um reembolso total para todos os jogadores que compraram Cyberpunk 2077 através da PlayStation Store e desejam um reembolso neste momento. Todas as cópias do jogo previamente adquiridas digitalmente na PlayStation Store permanecem disponíveis para uso por seus respectivos compradores. Os jogadores ainda podem comprar versões físicas do jogo em lojas de varejo e por correspondência. Todas as cópias, sejam digitais ou físicas, continuarão recebendo suporte e atualizações da Empresa.

O Conselho de Administração da Empresa decidiu divulgar publicamente essas informações na forma de um relatório atualizado devido à sua potencial influência nas decisões relacionadas a investimentos."

Qual sua opinião sobre a decisão da Sony e sobre o pronunciamento da CD Projekt Red? Deixe sua resposta nos comentários.

Remoção de Cyberpunk 2077 da PSN foi decisão mútua da Sony e CDPR