Testamos Valorant e o FPS bancou todo o hype

7 min de leitura
Imagem de: Testamos Valorant e o FPS bancou todo o hype
Imagem: Riot

Valorant, o novo jogo de tiro grátis da Riot para PC, é um dos melhores exemplos de como um video game pode ser maior que a soma de suas partes. À primeira vista, parece tentador reduzi-lo a um híbrido das melhores ideias de outros jogos de sucesso, mas basta passar um tempinho em seu mundo para notar que ele tem uma vibrante identidade própria.

A convite da Riot, tivemos acesso aos servidores sul-americanos do jogo e passamos 2 dias maratonando eletrizantes partidas ao lado de colegas da imprensa, jogadores profissionais, influencers e streamers. A julgar pelas primeiras dezenas de horas de gameplay, o hype pelo lançamento se justifica totalmente, e Valorant tem tudo para virar a mais nova febre dos esports.

Valorant terá 10 heróis em seu lançamento, todos bem carismáticosValorant terá 10 heróis em seu lançamento, todos bem carismáticos.Fonte:  Riot Games 

O filho pródigo de CS:GO e Overwatch

Ainda que a estrutura dos objetivos seja profundamente similar à de CS: GO e mesmo que boa parte dos poderes dos heróis derive de Overwatch, a união desses elementos, somados à expertise da Riot para criar jogos online com alto apelo e longevidade, geram algo diferente de tudo disponível no mercado.

Quem já se aventurou por CS:GO vai se sentir em casa logo de cara, pois Valorant é pautado em tiroteios de alta letalidade e precisão, em que um posicionamento ou uma decisão equivocada podem significar morte imediata. Além disso, o objetivo de todos os mapas é o mesmo, com os times se alternando no papel de quem deve plantar uma bomba na base rival.

O objetivo de todas as partidas é plantar ou desarmar bombasO objetivo de todas as partidas é plantar ou desarmar bombas.Fonte:  Riot Games 

Em partidas de cinco contra cinco jogadores online, pontua quem consegue detonar o explosivo nos locais designados do mapa ou quem impede a detonação. Ao fim das etapas de ataque e de defesa, vence a primeira equipe a alcançar 13 pontos. Todos os embates começam com uma fase de compra, na qual o time usa suas economias para comprar novas armas, equipamentos de defesa e… poderes especiais, o grande diferencial do jogo e o elemento que mais o distancia de CS:GO.

Podemos ser heróis

No estágio inicial, Valorant conta com 10 heróis em seu elenco, todos donos de poderes únicos que podem virar completamente o rumo de uma luta. Os personagens são divididos em quatro classes: Controller, Sentinel, Initiator e Duelist, então é essencial montar um time bem balanceado, que tire proveito dos recursos de cada um.

Cada herói tem seus próprios poderes, como a cura da SageCada herói tem seus próprios poderes, como a cura de Sage.Fonte:  Riot Games 

Controllers são ótimos para criar e gerenciar espaço, recomendados para jogadores que têm um bom domínio do macro e conhecem os nuances do mapa. Sentinels, por sua vez, têm melhores atributos de defesa e ajudam a fortalecer posições já controladas. Initiator é a melhor opção para engajar os inimigos e começar um confronto, criando janelas de oportunidade. Por fim, Duelists são as estrelas que brilham na hora dos tiroteios, os principais matadores do jogo.

Cada personagem tem habilidades secundárias que devem ser utilizadas com sabedoria e podem ser adquiridas na fase de compra antes das lutas, além de um movimento especial superpoderoso que é carregado lentamente com o tempo, pegando os orbes estrategicamente espalhados pelos mapas.

Já o herói Sova consegue mandar flechas rastreadoras ao melhor estilo Hanzo, do OverwatchO herói Sova consegue mandar flechas rastreadoras ao melhor estilo Hanzo, de Overwatch.Fonte:  Riot Games 

É muito divertido passar as primeiras horas de jogo processando tantas informações novas ao mesmo tempo: é preciso estudar e experimentar as 17 armas disponíveis para compra, o layout dos mapas, a dinâmica de objetivos, as habilidades secundárias de cada classe e ainda testar seus golpes especiais. Nem mesmo 2 dias inteiros de jogo bastaram para dominar todos os conceitos.

Um jogo exigente

Embora nada impeça a participação de jogadores casuais, que certamente irão se divertir com a fartura de armas e poderes, além do bom design dos cenários coloridos e com arquiteturas interessantes, Valorant foi pensado desde o início como um jogo de altos reflexos e habilidades.

Para se dar bem nas partidas é preciso estudar e se adaptar ao recuo de cada arma, ter conhecimento do seu spray e boa noção espacial, já que as armas têm danos diferentes dependendo da distância para o alvo e até mesmo da parte atingida do corpo. Tiros na cabeça sempre causam mais dano, seguidos por tiros no tronco e na perna, os menos nocivos.

Não espere ficar bom sem horas de treino. Felizmente, há um tutorial ótimo para praticar a miraNão espere ficar bom sem horas de treino; felizmente, há um tutorial ótimo para praticar a mira.Fonte:  Riot Games 

Não é possível correr pelos cenários, e tudo o que você pode fazer é segurar o botão Shift para andar mais lentamente e abafar o som de seus passos. Lembre que eles podem entregar a sua posição, então vale a pena jogar com bons fones de ouvido o tempo todo. Outro movimento essencial para dominar é saber quando apertar Control para se abaixar, já que esse ângulo traz maior estabilidade na mira.

Ficou evidente em nossas partidas o quanto faz diferença ter experiência em outros títulos do gênero. Jogamos em grupo com e contra jornalistas, além de com e contra profissionais de outros esports, e as partidas foram completamente diferentes — e, é claro, repletas de stomps. Então prepare-se para muito grinding se quiser virar um craque.

Mapas e poderes

Em nosso teste, apenas dois mapas estavam disponíveis, Haven e Bind. Ambos seguiam a estrutura de concentrar a ação em um território neutro central, com diferentes lados possíveis para planejar os ataques. Embora pareçam simples inicialmente, um olhar atento revela que há vários objetos cuidadosamente espalhados para criar oportunidades de cobertura.

No começo de cada rodada você pode comprar novas armas e recarregar os poderesNo começo de cada rodada, você pode comprar armas e recarregar poderes.Fonte:  Riot Games 

Algumas áreas têm um segundo andar como rota alternativa de abordagem, o que é essencial, já que os poderes dos heróis trazem uma verticalidade de movimento inexistente em CS:GO. Jett, por exemplo, consegue saltar mais alto que todos os outros personagens com sua habilidade secundária, enquanto Sage pode invocar paredes que fecham rotas e obrigam os rivais a irem por outro caminho.

Viper pode colocar um ácido no chão que torna mais lento o movimento de todos, enquanto Sova invoca um drone capaz de voar até qualquer ponto do mapa para sondar o posicionamento rival. Com o tempo, você vai aprendendo a tirar proveito do layout do mapa através da movimentação e dos recursos únicos de cada personagem, o que é muito gratificante.

Nem todas as habilidades supremas são igualmente criativas, já que a ressureição de Sage é basicamente o poder de Mercy em Overwatch, enquanto Phoenix pode voltar à vida em um estilo bem parecido ao de Revenant de Apex Legends, mas algumas escolhas brilham, como a suprema de Cypher, que "interroga" heróis tombados e revela a localização de seus aliados no mapa, ou o teleporte de Omen, que o permite migrar para qualquer outro ponto do cenário em poucos segundos.

O jogo é monetizado com microtransações que liberam novos cosméticosO jogo é monetizado com microtransações que liberam novos cosméticos.Fonte:  Riot Games 

O mapa Bind pareceu um pouco mais divertido, especialmente por contar com uma área de teleporte de mão única, que permite a um time migrar de um canto a outro do cenário imediatamente. Perfeito para armar emboscadas… ou morrer pateticamente caso o outro time já esteja ali esperando.

O que ainda precisa melhorar

No Beta fechado, o produto já parece bem próximo de sua forma final, com partidas rolando com ping baixo, estabilidade para rodar bem mesmo em máquinas mais fracas, sem bugs, travamentos ou problemas técnicos dignos de nota. Assim, os poucos problemas notados ficaram na otimização dos menus.

Formar parties e adicionar amigos não era muito intuitivo e, durante as partidas, penamos um pouco para conseguir filtrar a comunicação adequadamente, sem que o time rival também pudesse ouvir nossas chamadas. No fim das contas, todos acabaram optando por jogar com Discord ligado ao invés de usar o chat interno do game.

Todos os jornalistas penaram um pouco para configurar a party de áudioTodos os jornalistas penaram um pouco para configurar a party de áudio.Fonte:  Riot Games 

A economia interna de Valorant também gerou alguns questionamentos, pois estava um pouco fácil demais ter acesso constante às melhores armas e, por pior que o time estivesse se saindo, não faltavam recursos para comprar todos os itens necessários. Quando um meta surgir e os jogadores abusarem das melhores armas, isso pode se tornar um problema. Nada que um ou dois patches não resolvam.

Veredito

Nem é preciso apostar que Valorant fará sucesso, já que mesmo antes de seu lançamento figura entre os mais streamados e comentados da internet. A Riot não está poupando esforços para puxar jogadores de outros títulos para seu novo game, como na recente contratação do astro MVP de Overwatch Sinatraa, agora um pro player de Valorant, então a única dúvida que resta é se a empresa vai conseguir criar uma estrutura competitiva digna de seus altos investimentos.

Considerando a qualidade do gameplay e o quanto League of Legends ainda é comentado e assistido hoje em dia, seria surpreendente não ter Valorant figurando entre os maiores jogos de 2020 e além.

Testamos Valorant e o FPS bancou todo o hype