Amos Genish, atual CEO da Vivo, vai deixar o cargo depois de quase dois anos à frente da operadora. Ele foi escolhido pelo grupo espanhol Telefónica para liderar a incorporação da GVT à Vivo, depois da compra realizada em 2014 por R$ 22 bilhões. Genish negociou ficar na presidência da Vivo até conseguir realizar as economias de custo esperadas e colocar a empresa novamente em marcha de lucro.

Vivo já recuperou mais de R$ 25 bilhões sobre o valor investido para a compra da GVT

Esse objetivo foi alcançado um ano antes do esperado, e Genish vai deixar a presidência da operadora em 1º de janeiro de 2017, quando seu sucessor, Eduardo Navarro, deve assumir o cargo. Segundo a Folha de S. Paulo, a Vivo já recuperou mais de R$ 25 bilhões sobre o valor investido para a compra da GVT, fundada por Genish no Paraná em 1999. Saindo da presidência, o executivo vai para o conselho de administração da Vivo.

Navarro é um dos principais executivos do Grupo Telefónica na Espanha e deve voltar ao Brasil para liderar o maior braço da corporação globalmente, a Vivo. O brasileiro trabalha na Telefónica desde a privação do setor de telecomunicações. 

Eduardo Navarro, futuro CEO da Vivo

Atualmente, ele é o responsável pela área digital da companhia, considerada estratégica para levar a companhia para a era de serviços e produção de conteúdo para a web. Apesar disso, Navarro começou sua carreira no setor metalúrgico, tendo inclusive sido formado pela Universidade Federal de Minas Gerais nessa área.

Ainda não foram divulgados planos para a nova administração da empresa, e as incertezas em volta disso fizeram as ações da Vivo caírem mais de 6% após o anúncio oficial.

Cupons de desconto TecMundo: