A redação do TecMundo recebeu uma denúncia bastante curiosa na manhã desta quarta-feira (28). De acordo com o leitor Manuel João Matos, que é de Portugal e vive no Brasil há quatro anos, um atendente da operadora Vivo praticou xenofobia contra ele e seu pai, que também é português. O internauta afirma que o funcionário alterou o nome de sua rede WiFi para “Volta pro seu país, portuga!”, em um claro ato de preconceito étnico.

Em contato com o TecMundo, Manuel explica que mora em São Paulo capital e é cliente do plano Vivo Fibra de 100 Megas, que atualmente é oferecido pelo valor promocional de R$ 59 para novos assinantes. Porém, visto que sua conexão jamais atingiu nem mesmo 50 Mbps desde a instalação da rede, o leitor decidiu ontem (27) entrar em contato telefônico com a operadora para questionar a falta de velocidade.

“Meu pai, que ainda tem sotaque e nota-se bem que é português, ligou para reclamar do serviço. Porém, após terminar a chamada, alguém mudou o nome da rede aqui de casa e a deixou com o seguinte nome: VOLTA PRO TEU PAÍS PORTUGA…”, afirma Manuel, que também explicou a situação em uma extensa postagem em seu perfil no Facebook. “Não sei direito, mas até onde eu entendi isso é xenofobia né?”, complementa.

Fotografia registrada pelo próprio leitor

O que a Vivo tem a dizer?

Manuel afirma que, depois do ocorrido, seu pai encaminhou uma queixa à Anatel; simultaneamente, o internauta também começou a tratar do caso no Ministério Público. O TecMundo entrou em contato com a assessoria de imprensa da Vivo e a companhia emitiu o seguinte comunicado oficial:

A Telefônica Brasil informa que segue uma rigorosa política global de respeito e cordialidade no atendimento ao cliente. A empresa vai apurar o caso mencionado e tomará as medidas administrativas cabíveis.

Casos semelhantes

Vale observar que, se constatada a veracidade do caso, esta não será a primeira vez que um cliente é tratado de forma desrespeitosa por uma operadora de telefonia ou internet. Em novembro de 2013, um assinante da Claro TV recebeu uma carta em nome de “Otário Chorão” após pedir uma redução em sua mensalidade. Dias depois, uma usuária da TIM foi taxada como “a cliente mais enjoada que já existiu” na nota fiscal de sua compra de um chip. A companhia foi obrigada a pagar uma indenização de R$ 6.780.

Cupons de desconto TecMundo: