Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Columbia Pictures)

Que muito daquilo que vemos nos cinemas é uma representação fantasiosa de fatos reais, ninguém duvida. Mas quem imaginou que iria ver um vírus de computador de verdade se transformar na inspiração para o enredo do novo filme de James Bond?

Quem já foi assistir a “007: Operação Skyfall” viu o agente secreto enfrentando uma ameaça um pouco diferente daquela que ele está acostumado a encarar em seus filmes. Em vez de um vilão megalomaníaco armado com ogivas nucleares, temos um adversário que ataca da maneira mais limpa possível: pela tecnologia. No entanto, você sabia que isso é uma pequena metáfora aos acontecimentos recentes?

007 contra Stuxnet

Em entrevista ao jornal Fox News, o produtor do longa-metragem, Michael G. Wilson, explicou que o aumento de casos de terrorismo cibernético foi a principal base para o roteiro do filme. Uma das maiores fontes de inspiração para a equipe foi exatamente o Stuxnet, o vírus que atacou e prejudicou consideravelmente o programa nuclear iraniano há alguns anos.

Na época, muitos rumores creditaram os ataques a uma tentativa dos Estados Unidos e Israel de impedir o país de desenvolver uma possível bomba atômica, sabotando todo o progresso obtido até então. Em outras palavras, praticamente um filme de James Bond.

De acordo com a coprodutora de Operação Skyfall, Barbara Broccoli, a tecnologia pode ser muito útil em alguns momentos, mas ela também pode ser usada para outros fins, como permitir a execução de ações extraordinárias com o apertar de um único botão. Assim, colocar um vilão no meio disso tudo é algo bem simples — e que funcionou muito bem nas telonas.

Cupons de desconto TecMundo: