(Fonte da imagem: Reprodução/The Washington Post)

O jornal The Washington Post revelou recentemente que uma conjunção de forças dos EUA e Israel resultou na produção do malware Flame — um worm de espionagem que atualmente infecta milhares de computadores através do Oriente Médio. A ideia era atacar os programas nucleares do Irã.

A informação surgiu de oficiais anônimos do exército estadunidense e ressalta a ligação entre o Flame e o Stuxnet, arma cibernética utilizada pelos EUA e por Israel para atacar instalações nucleares iranianas em 2009.

Ainda de acordo com as fontes, estariam envolvidos nos esforços o exército israelense, a NSA e a CIA (agência de segurança nacional e central de inteligência estadunidenses, respectivamente), em desenvolvimento que teria durado cinco anos sob o codinome “Olympic Games” (jogos olímpicos).

Conforme lembra o site The Verge, a conexão entre EUA e Israel havia sido anteriormente especulada, após detalhes em ambos os códigos (Flame e Stuxnet) sugerirem um mesmo autor. Denominado “Worm.Win32.Flame”, o programa insidioso é considerado como uma das piores ameaças descobertas na História. Fique ligado no Tecmundo para mais novidades.

Fontes: The Washington Post, The Verge

Cupons de desconto TecMundo: