Esta sexta-feira (6) é uma data especial para os fãs de jogos eletrônicos. Há exatamente 30 anos, o cientista russo Alexey Pajitnov desenvolveu a primeira versão daquele que se tornaria um dos games mais clássicos de todos os tempos: Tetris. Apostando em mecânicas e regras simples, o jogo se prova uma experiência viciante que já vendeu mais de 170 milhões de cópias durante sua existência, o que lhe garantiu um lugar especial na cultura popular.

Como não podíamos deixar esse evento único passar em branco, neste artigo o TecMundo reúne alguns dos principais dados e curiosidades relacionados ao quebra-cabeça virtual. Ao final do texto, você também confere uma seleção com algumas das melhores versões do game disponíveis na internet para que você possa reviver suas memórias ou conhecer o jogo, caso nunca tenha tido a oportunidade de jogá-lo anteriormente.

Combinação de tetraminós

A base de Tetris é uma forma geométrica conhecida como tetraminó, composta por quatro quadrados conectados de forma ortogonal. As cinco combinações possíveis formam as peças usadas durante o game, que devem ser conectadas entre si de forma a criar linhas que resultam no aumento de pontuação.

Embora o sistema de pontuação varie conforme a versão do jogo que é analisada, em geral todas elas se baseiam no princípio de que, quanto mais difícil for a tarefa realizada pelo jogador, mais ele deve ser recompensado. Abaixo, você confere uma tabela com o sistema de pontuação usado nas versões clássicas para Game Boy, NES e Super NES:

Filho da União Soviética

Tetris foi criado em 1984 pelo cientista Alexey Pajitnov em um terminal Electronika 60, enquanto ele trabalha na Academia de Ciências Soviética. “Sempre amei quebra-cabeças, então eu tentei fazer um game para duas pessoas baseado no Pentaminó, um jogo popular do qual eu realmente gosto e ainda jogo”, explicou ele à Business Insider.

“O que eu acabei criando foi único, mas, na época, pensava que era somente um bom jogo — nada melhor ou pior do que qualquer outro game popular naquela época. Não tinha ideia do sucesso que ele iria atingir”, explica Pajitnov. Em questão de um ano, Tetris já havia sido adaptado para o IBM PC, o que fez com que ele chamasse a atenção da publicadora britânica Andromeda — algo que iniciou um problema de direitos autorais que duraria décadas para ser resolvido.

Após não conseguir chegar a um acordo com Pajitnov (que já havia negociado com a Spectrum HoloByte), a empresa tentou garantir os direitos do jogo com aqueles que haviam trabalho em sua primeira adaptação. Embora em 1987 a empresa tenha adquirido os direitos de distribuir o game nos PCs da IBM e em outros computadores, a Mirrorsoft e a HoloByte lançaram no mesmo ano versões para o Amiga e para o Atari ST.

Em 1988, o criador do game cedeu seus direitos sobre ele ao governo da União Soviética, que passou a gerenciá-los através de uma organização conhecida como Elektronorgtechnica (ou simplesmente “Elorg”). No mesmo ano, o game foi lançado pela SEGA no Japão e chegou a aparecer em sistemas como o MSX, Famicom (o NES japonês) e até mesmo em versões não licenciadas para o Master System e arcades coreanos.

Em 1989, meia dúzia de companhias afirma possuir os direitos de produzir e distribuir games com o nome Tetris para computadores, sistemas caseiros e portáteis. Nesse mesmo ano, durante a CES, Henk Rogers assegurou um acordo com a Nintendo que previa que todas as cópias do Game Boy viriam acompanhadas pelo game — combinação que resultou no crescimento explosivo do portátil e do game, vendendo 30 milhões de cópias.

Enquanto Rogers fez uma fortuna licenciando o jogo para diversas companhias ao redor do mundo, Pajitnov teve que esperar até 1996 para que os direitos sobre o game fossem revertidos a ele pelo governo russo. Como nessa época a “febre Tetris” já havia passado, o criador daquele que possivelmente é o título mais bem-sucedido da história jamais ficou rico com sua obra.

Atualmente, os direitos sobre a obra são mantidos pela Tetris Company, comandada por Rogers e Pajitnov, que tem como princípio se certificar de que qualquer versão oficial do título siga alguns princípios básicos que lhe são característicos. O mais novo lançamento associado à franquia deve acontecer este ano graças à Ubisoft, que vai trazer o game ao PlayStation 4 e ao Xbox One.

Vendas extraordinárias

Durante toda a história de Tetris, as diferentes versões do game já acumularam mais de 170 milhões de cópias vendidas ao redor do mundo. A EA Mobile é a provavelmente a empresa que mais conseguiu distribuir cópias do produto: com 100 milhões de cópias vendidas, a adaptação para plataformas portáteis produzida pela empresa detém o posto de game mobile que mais rapidamente vendeu em toda história.

Alguns exemplos das diferentes versões de Tetris

Listar todas as plataformas que já receberam ao menos uma versão do game é uma tarefa complicada, visto que isso resultaria em uma lista tão imensa que a maioria das pessoas simplesmente passaria direto por ela. Assim, basta dizer que, se você imaginar algum aparelho eletrônico produzido depois de 1985, é provável que haja alguma versão de Tetris para ele — mesmo que estejamos falando de uma calculadora comum. Segundo o Livro Guinness dos Recordes, até 2011 o jogo já havia aparecido em 65 plataformas diferentes.

O efeito de Tetris no cérebro

Caso você precise de mais motivos para jogar Tetris além do fato de ele se tratar de um ótimo game, saiba que o jogo pode trazer benefícios à sua saúde. Uma pesquisa conduzida pelo Dr. Richard Haier, da Universidade da Califórnia, mostra que a atividade cerebral de quem experimenta o game constantemente tende a ficar mais aguçada para tarefas que envolvem "o pensamento crítico, a razão, a linguagem e o processamento de dados”.

Já uma pesquisa feita por um grupo da Universidade de Oxford detectou que jogar Tetris logo após testemunhar algum material gráfico traumático diminuía as memórias ruins resultantes da experiência. Por fim, observações conduzidas pelos professores Jackie Andrade e Jon May, do Instituto de Cognição da Universidade Plymouth, descobriram que jogar o puzzle constantemente ajuda pessoas que desejam perder peso e largar o hábito de beber ou de fumar.

O game também é conhecido por fazer com que jogadores assíduos passem a ver cada uma de suas peçinhas em lugares do cotidiano — como em gotas-d’água escorrendo pela janela em um dia chuvoso, por exemplo. Conhecida como “efeito Tetris”, essa situação pode se repetir em qualquer jogo ou situação que envolva lidar com imagens e cenários de forma repetida.

Jogue você também

Agora que você já sabe mais sobre a história de um dos maiores clássicos da história dos video games, que tal prestar uma homenagem a ele? Fazer isso é fácil; basta jogar alguma das centenas de versões do game disponíveis gratuitamente na internet — várias das quais é possível encontrar no Baixaki. Abaixo, você confere três sugestões que vão ser capazes de entretê-lo durante horas.

Tetrix Pirate Tale

Adotando uma ambientação nos Sete Mares, Tetrix Pirate Tale segue as regras básicas do game clássico: usando sua habilidade de raciocínio e reflexos, o jogador deve completar linhas para aumentar sua pontuação ao mesmo tempo em que lida com peças que caem em ritmo cada vez mais acelerado. O game dispõe de um quadro mundial de pontuações para você comparar seu desempenho com o de outras pessoas.

Tetris 1.63

Quem deseja conferir Tetris em sua forma mais “pura” pode baixar esse remake gratuito para sistemas operacionais da Microsoft. O jogo mantém todas as regras e características vistas na versão original, se diferenciando somente pela adoção de uma resolução de imagens mais compatível com os padrões atuais.

Tetris Blitz

Disponível gratuitamente para iOS, Android e Windows Phone, Tetriz Blitz dá uma “mexida” na fórmula da série e dá um foco maior à velocidade dos movimentos do jogador. Contando com um tempo limite de dois minutos, cabe a você combinar rapidamente as peças que estão caindo para obter a maior quantidade possível de pontos.

Cupons de desconto TecMundo: