O ano está quase acabando e a prova disso é que temos premiações e retrospectivas que fazem o apanhado do que houve de melhor nos últimos meses. E o equivalente disso para os jogos é o The Game Awards 2016, que aconteceu em Los Angeles na virada desta quinta (1º) para sexta-feira (2).

Apresentado por Geoff Keighley, o evento é praticamente uma homenagem aos destaques do ano — e foi exatamente esse o clima sentido durante as quase 2 horas. O TecMundo esteve em transmissão ao vivo durante toda a apresentação, além de soltar os conteúdos mais quentes para quem só pode ver as novidades durante o café da manhã.

Para a lista de vencedores, clique aqui!

O pré-show que já é o show

A transmissão começou com pouco mais de 5 minutos de atraso e não foi direto para o palco: ela começou em um "pré-show" de 30 minutos, o que significa que os troféus só começaram mesmo a ser entregues à meia-noite. Esse aquecimento envolveu esquetes de humor, informações sobre a estatueta entregue aos vencedores e como é feita a seleção dos candidatos.

Nessa meia hora, entretanto, já tivemos uma novidade de The Legend of Zelda: Breath of the Wild. O vídeo começou de forma lenta, mostrando a variedade da flora e alguns dos perigos que você encontra no gigantesco mapa do game. Uma fortaleza voadora, perseguições e cenários destruídos também são mostrados, dando a entender que teremos um jogo carregado de sentimento. Não é nenhuma surpresa, mas o título foi confirmado para Wii U e Nintendo Switch mesmo.

No pré-show, começaram também alguns prêmios menos badalados: Pokémon GO levou o prêmio de "Melhor Jogo Mobile/Portátil" e “Melhor Jogo Família”, enquanto um novo mapa de Rocket League foi apresentado. Além disso, o executivo Randy Pitchford anunciou que a Gearbox vai ajudar desenvolvedores independentes a publicarem games. O primeiro título é da People Can Fly, o jogo de tiro em primeira pessoa — e cheio de loucuras — Bulletstorm.

Quando o contador acabou, um clipe introdutório cheio de grandes lançamentos do ano foi apresentado, mostrando o incrível catálogo que tivemos neste ano em todos os gêneros. A mensagem é que os jogos "nos dão uma sensação de liberdade" e que "hoje em dia são mais importantes do que nunca".

Uma justa homenagem

Geoff Keighley adentrou o palco com a bonita (e pesada) estatueta para entregar a um ídolo. Hideo Kojima foi impedido de receber prêmios e comparecer ao evento em 2015 por conta das brigas com a Konami, mas, desta vez, não havia mais amarras. Ainda por Metal Gear Solid V: The Phantom Pain e pelo conjunto da obra, ele recebeu uma homenagem como um ícone da indústria.

"Ele nunca reclamou, ele se fechou em uma sala fechada por meses", disse Geoff, visivelmente emocionado e agradecendo a ele por superar todas as dificuldades ao conseguir entregar o game. "Hoje, Hideo está reconstruindo sua vida e seu estúdio com o nosso apoio", alfinetou.

"No último ano, eu achei que tinha perdido tudo, mas não perdi nada. Obrigado a todos vocês. Agradeço pelo apoio, a Geoff e ao Game Awards, eu realmente agradeço a vocês de coração. Muito, muito obrigado. E mais uma coisa: eu trouxe um presente para vocês. Por favor, apreciem", finalizou, apresentando um novo e incrível vídeo de Death Stranding.

Ritmo alucinante

A apresentação musical de Run the Jewels em alta velocidade deu o tom da premiação até o final: o negócio seria corrido. Em blocos separados por esquetes, entrevistas e comerciais, prêmios eram distribuídos em uma velocidade absurda (alguns até em conjunto) e trailers apareciam na tela quase sem dar tempo para o espectador respirar.

Alguns dos convidados foram o elenco de Uncharted 4: A Thief’s End (mais especificamente Emily Rose, Nolan North e Troy Baker, que interpretam Elena, Nathan Drake e Sam) para apresentar a categoria “Melhor direção de arte”, que foi para Inside. E o famoso Boogie2988 foi o influenciador escolhido para levar o prêmio de "Trending Gamer".

O apresentador e comediante Conan O’Brien ainda apareceu em uma gravação para dar o prêmio de “Melhor Jogo de Ação” para Doom. E o game voltaria aos holofotes com uma impressionante execução da trilha sonora ao vivo — provando que a música ajuda muito a deixar você pilhado para estraçalhar demônios.

Cliff Bleszinski apresentou mais material de LawBreakers e o jogo inédito Dauntless foi revelado. Prey teve um trailer que mesclou os melhores momentos de clipes antigos com novas cenas — e o resultado foi incrível. Em seguida, o nadador norte-americano e recordista olímpico Michael Phelps apresentou um prêmio especial para o Brasil: coldzera, jogador de Counter-Strike: Global Offensive, levou o prêmio de “Melhor atleta de eSports”.

Premiado como jogo mais esperado do ano que vem, The Legend of Zelda: Breath of the Wild apresentou um trailer incrível e um rápido gameplay que só deixaram os fãs mais ansiosos. O Nintendo Switch foi rapidamente mencionado, mas nem sombra do console durante a premiação ou em algum outro título.

O evento continuou com mais trailers, como um vídeo épico de Halo Wars 2, e uma apresentação musical final de Rae Sremmurd. O bloco final estava próximo, assim como a categoria mais esperada.

O momento pelo qual todos esperavam

No último bloco, o grande destaque foi o primeiro material de gameplay de Mass Effect: Andromeda — e ele não desapontou. O público ficou impressionado com exploração, diálogos e ação tão bem mesclados no título. Por fim, o grande prêmio: maior vencedor da noite, Overwatch também foi escolhido o Game of the Year (GOTY). Ele levou esse prêmio junto com "Melhor Multiplayer", "Melhor Estúdio e Direção" e "Melhor Jogo de eSports".

Como toda premiação, a lista foi questionada por uns e comemorada por outros: há quem acredite que jogos como Final Fantasy XV e Pokémon Sun & Moon deviam concorrer neste ano, e muitos fãs reclamaram da ausência de prêmios para Battlefield 1 e da "monopolização" do game da Blizzard.

Confira aqui a lista completa de vencedores e dê a sua opinião!

Todas as "World Premieres"

Cupons de desconto TecMundo: