Se você ficou sabendo do recente acidente do foguete Falcon 9, provavelmente tem uma ideia de como o mais leve congelamento de uma parte de um avião pode custar caro. Mas não se preocupe, pois a grande maioria desses veículos já está pronta para aguentar os climas mais intensos imagináveis. Isso graças ao McKinley Climatic Lab, uma enorme câmara de testes que coloca aviões e até carros em condições climáticas extremas.

Criado em 1947 como uma alternativa para testes sem controle em condições naturais, o enorme hangar/forno/geladeira impressiona por ser capaz de alcançar temperaturas absurdas. Os cientistas podem resfriar o ambiente para até -53°C ou aquecê-lo para até 109°C – mais do que suficiente para testar a maioria das situações encontradas em terra ou ar. Eles conseguem, inclusive, simular chuvas e nevascas, com seus equipamentos.

O processo, vale notar, não é exatamente rápido. Uma vez que o objetivo é avaliar como os veículos reagem às temperaturas e quais seus limites, os aviões são mantidos no hangar por vários dias, com um resfriamento gradual, e têm cada componente testado antes de prosseguir para a próxima parte.

Em seus primeiros 50 anos de existência, o McKinley Climatic Lab teve a chance de testar todo o tipo de avião. Uma vez que ele foi criado originalmente com fins militares, o hangar testou 300 aeronaves do exército norte-americano, bem como mais de dois mil outros componentes de equipamento, munição e veículos. Isso também inclui veículos famosos, como o B-29, o F-22 e o F-35, entre muitos outros.

Pronto para qualquer teste

Como dito antes, esses não são os únicos veículos testados pelo laboratório, que é considerado único no mundo. Atualmente, todo o tipo de aeronave e automóvel já entrou pelas várias câmaras de testes do local, dos gigantescos aviões comerciais Airbus A350 e 787 Dreamliner a vários carros da Ford. Basta conferir os vídeos abaixo para ter uma ideia de alguns deles:

F-22

F-35

Airbus A350

Veículos da Ford

É claro que, no fim das contas, é absurdamente improvável que um veículo seja exposto a situações tão extremas. Mas ainda assim, é bom saber que nossos carros dificilmente vão parar de funcionar por culpa de um dia quente ou frio demais – e que o nosso próximo voo de avião não vai acabar em desastre por culpa das baixas temperaturas resultantes da grande altitude.

Que testes de resistência absurdos você já vou para veículos e eletrônicos? Comente no Fórum do TecMundo