Aqui no Brasil, os motoristas do Uber já foram vítima de vários ataques supostamente efetuados por taxistas, mas parece que nos Estados Unidos ao menos um deles resolveu deixar a posição de agredido e se tornar o agressor. Ainda que a empresa do aplicativo proíba seus funcionários de portar armas de fogo, um dos seus empregados no estado norte-americano da Flórida decidiu descumprir a ordem e acabou ameaçando um passageiro com sua pistola.

Enquanto ia para sua casa com ao menos um amigo, a vítima pediu que seu motorista, Patrick McDonald, parasse o carro, pois achava que iria vomitar. O profissional fez como pedido, mas, quando seu passageiro afirmou já estar se sentindo melhor e pronto para voltar a andar, no entanto, as coisas começaram a desandar.

Sobre pistolas e... pistolas

De acordo com o relatório da delegacia do escritório do xerife de Manatee County, o motorista teria falado para o passageiro nauseado sair do veículo, alegando que não permitiria que ele vomitasse dentro de seu carro de US$ 75 mil. McDonald teria então tentando arrastar o passageiro para fora do automóvel, dando início a uma discussão.

Patrick McDonald teria ameaçado seu passageiro com uma pistola semiautomática

Em certo ponto, o motorista assumiu “uma postura agressiva de combate” e foi até seu carro, de onde voltou segurando uma pistola semiautomática preta. Segundo o depoimento da vítima, McDonald teria chegado a apontar a arma em sua direção antes do seu amigo intervir para interromper a confusão, evitando que eles se ferissem.

Na delegacia, o chofer se defendeu afirmando que jamais chegou a apontar a pistola para a vítima. Além disso, ele diz ter agido por medo de perder a vida, já que os passageiros teriam ameaçado “enfiar seus pênis na sua orelha”. O caso ainda não foi julgado, mas certamente serve de aviso para que você nunca ameace o motorista do seu Uber com suas partes íntimas.

Você já se sentiu ameaçado por algum motorista do Uber, taxista ou outro profissional dos transportes? Comente no Fórum do TecMundo