Depois de meses de negociações, o Uber chegou a um acordo com a família de uma garotinha norte-americana de 6 anos de idade que foi morta durante um acidente de trânsito causado por um descuido de um de seus motoristas. Os responsáveis pela criança haviam processado a empresa por homicídio culposo, mas os documentos de corte indicam que os pais aceitaram uma compensação financeira, embora tenham pedido que o valor seja mantido em segredo.

Chamada Sofia Liu, a garotinha faleceu no dia 31 de dezembro de 2013 após ser atingida por um carro conduzido por Syed Muzzafar, um dos motoristas do Uber. O profissional não tinha passageiros no carro na hora, mas estava usando o app da empresa quando causou o acidente que resultou na morte da menina. O condutor também foi processado pela família e recebeu queixas criminais por homicídio veicular.

A empresa anteriormente havia negado responsabilidade pelo incidente, já que Muzzafar “não estava fornecendo seus serviços por meio do sistema Uber na hora do incidente”. Na época, os representantes da companhia se recusaram a comentar o caso, mas em março de 2014 tanto a Uber quanto a Lyft atualizaram suas políticas de seguro para cobrir motoristas na mesma situação do acusado.

Após o acordo, Trina Smith, uma representante da Uber, falou ao Ars Technica e disse reconhecer que a família Liu sofreu uma grande tragédia. “Embora não possamos diminuir sua dor, esperamos que esses termos ajudem a família a seguir adiante”, declarou. 

Acha que apps como o Uber devem ser responsabilizados em caso de acidentes? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: