O ex-CEO da Uber, Travis Kalanick, se viu saindo do olho de um verdadeiro furacão ser afastado definitivamente do cargo há alguns dias, mas isso não significa que ele vá deixar de exercer sua influência sobre a empresa – pelo menos na parte que diz respeito selecionar o seu sucessor.

Kalanick, que havia pedido afastamento temporário mas acabou saindo de vez por pressão de investidores, ainda faz parte do conselho da empresa e ainda é um acionista. Assim sendo, ele fará parte do grupo que está encarregado de escolher quem será o novo CEO da companhia.

A empresa Heidrick & Struggles está auxiliando nas buscas pelo novo executivo, trabalhando também para encontrar um novo COO, responsável pela parte operacional da empresa.

A última reunião do conselho da Uber, na sexta-feira, foi justamente focada na criação de um subcomitê de buscas e também um comitê principal para garantir que uma série de recomendações feitas em um relatório escrito pelo ex-procurador geral dos EUA, Eric Holder, sejam implementadas.

Um memorando que circulou pela companhia formalizou a ação: “Seguindo a aprovação anônima do relatório Covington da semana passada, o conselho também criou um novo comitê de supervisão com Matt [Cohler, da Benchmark Capital], Arianna [Huffington] e David [Trujillo, da TPG], para garantir que a empresa consiga implementar as recomendações”.

O documento de 13 páginas contém recomendações de como a cultura e a gestão da Uber devem ser “resetadas” para reconstruir a imagem de empresa, que se envolveu em uma série de problemas nos últimos meses.

Cupons de desconto TecMundo: