Quem disse que Twitter não dá cadeia? O norte-americano Kyler Schmitz, que é motorista do Uber no estado da Virginia, está detido na prisão e foi condenado por um juiz a "não twittar de forma alguma, por qualquer razão e a qualquer pessoa"

Segundo o site da NBC de Washington, ele fez ameaças bastante pesadas a vários senadores dos Estados Unidos após o massacre que aconteceu recentemente em Orlando, quando um atirador entrou em uma casa noturna e fez dezenas de vítimas.

Vários políticos receberam as mensagens, mas o senador Roy Blunt, do Missouri, foi o maior alvo do twitteiro. "Eu vou atirar na sua cabeça por permitir que alguém assassine pessoas que amo", "Eu literalmente vou comprar uma arma, atirar na sua cara e assistir aos seus miolos se espalharem", "Estou indo até você" e "Não consigo esperar para atirar na sua cara, mano a mano" são alguns dos posts escritos e já deletados.

O que diz a defesa?

O noivo do réu, Paul Cianciolo, alegou que o acusado não possui uma arma de fogo e nunca cumpriria o prometido, já que os tweets eram uma "paródia". Já o advogado dele classificou como mero discurso político. No entanto, o juiz não tomou isso como verdade e alegou que as mensagens são de fato ameaças. O rapaz ficará preso até que a sentença seja definida, mas já está decidido que ele terá que passar por um teste psicológico, além de estar proibido de twittar, entrar em Washington DC e falar com representantes do governo.

Cupons de desconto TecMundo: