(Fonte da imagem: Reprodução/Engadget)

Por conta das atividades de espionagem do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, diversos pontos sobre a segurança de informações começaram a ser discutidos — e você pode conferir a importância dessa proteção avaliando os “estragos” que acabaram acontecendo na relação entre o governo brasileiro e estadunidense.

De acordo com diversos estudos teóricos, uma das soluções para resolver os casos de espionagem seria a utilização de criptografia quântica — para saber um pouco mais sobre o assunto, clique aqui. Dessa maneira, o “invasor” acabaria encontrando uma dificuldade muito grande para identificar uma chave válida para o conteúdo em questão.

Contudo, essa grande proteção dificulta a utilização da criptografia quântica em grupos, já que nem todas as pessoas poderiam acessar as mensagens. Pensando nisso, a Toshiba criou um noto tipo de rede baseada em chaves de distribuição quânticas (mais conhecidas pela sigla QKD, em inglês) e que pode levar essa proteção a grupos inteiros.

Eficiente e não custa caro...

A novidade é relativamente simples de ser explicada. Cada pessoa — até 64 podem trabalhar juntas no sistema — recebe um transmissor quântico considerado básico. Todos esses emissores mandam mensagens para somente um receptor quântico de ponta, que formula chaves para se comunicar com todos os componentes do seu grupo.

Além de permitir que diversas pessoas trabalhem dentro de um sistema seguro, a novidade da Toshiba também se destaca pelo fato de não precisar de um investimento de alto custo, já que somente o receptor quântico é algo muito caro e de ponta. Por conta disso, a solução pode ser acessível para empresas e outros tipos de organização.

Cupons de desconto TecMundo: