Em mais uma tentativa de popularizar seu sistema operacional próprio - e com isso se arriscar a bater de frente com a supremacia do Android e iOS no mercado mobile -, a Samsung revelou nesta sexta-feira (12) o Z4, quarto smartphone da companhia equipado com o Tizen OS.

O dispositivo é voltado principalmente para países emergentes, por isso suas configurações ficam abaixo de modelos mais avançados. A própria fabricante o descreve como um celular para quem busca um telefone menos robusto, mas com conectividade 4G. "O Z4 traz uma experiência móvel simplificada para usuários de smartphones pela primeira vez e representa nosso compromisso contínuo com a expansão do ecossistema Tizen", destacou DJ Koh, presidente de negócios de comunicações móveis da Samsung Electronics.

O aparelho possui um processador quad-core rodando a 1,5 GHz, 1 GB de memória RAM, tela de 4,5 polegadas (480 x 800 p) com com vidro 2.5D ligeiramente curvado e câmera traseira de 5 megapixels que tira fotos quando o usuário mostra a palma da mão e sorri. Vem ainda com suporte a dois chips, bateria de 2.050 mAh e câmera frontal de 5 MP com flash (f/2.2) dedicado e recurso Auto Selfie, para tirar fotos automaticamente por meio de tecnologia de reconhecimento facial. 

Por enquanto, o Z4 com Tizen 3.0 será vendido primeiro na Índia, com previsão de lançamento para este mês de maio, nas cores dourado, prata e preto. Não foi revelado o preço, mas levando em consideração as versões anteriores do smartphone, o mais provável é que o produto custe menos de US$ 100. O Z2, por exemplo, chegou às lojas por apenas US$ 68.

Tudo indica que a Samsung não vai desistir do Tizen assim tão cedo. Mesmo com notícias questionando a segurança da plataforma, a empresa tem levado seu sistema para outros aparelhos além dos celulares, como TVs e os smartwatches da linha Gear. Por sinal, os relógios inteligentes da Samsung agora possuem uma adoção superior ao Android Wear, do Google, segundo uma pesquisa divulgada pela Strategy Analytics.