Como quem acompanha o TecMundo já deve saber, a Tesla Motors é, atualmente, a primeira colocada na corrida dos carros automatizados. E agora seus veículos acabam de receber mais uma tecnologia para deixá-los à frente de todo o resto: trata-se do Tesla Summon, um sistema que permite ao carro estacionar automaticamente em sua garagem ou ir até seu dono com um toque no controle remoto do veículo.

A novidade, como já prometido pela fabricante, chegou com a atualização 7.1 do sistema operacional para os carros Model S e Model X, lançada ontem (10). Segundo a Tesla Motors, o veículo é capaz de realizar praticamente todo o processo envolvido com entrar ou sair da vaga – incluindo abrir e fechar a porta da garagem ou dirigir até você.

Se isso não foi suficiente para explicar a ideia, basta conferir o vídeo logo abaixo para entender como a tecnologia funciona, na prática. “Um toque em seu celular ou chave e seu carro vai abrir a porta da garagem, sair, fechar a porta e vir até você”, explicou o próprio Elon Musk em um tweet.

De estacionamento automático a um motorista pessoal

Ficou impressionado em ver o carro em ação? Pois saiba que esse é apenas o começo. Embora esteja ainda em fase Beta, o Tony Stark da vida real também avisou que, em um futuro não tão distante, o Tesla Summon será capaz de guiar seu carro até você, praticamente onde quer que esteja; mesmo que isso signifique uma viagem através do país.

“Em ~2 anos, o Summon deve funcionar em qualquer lugar conectado por terra e não bloqueado por fronteiras. Ex: você está em Los Angeles e o carro está em Nova York”

Embora o próprio Musk admita que suas previsões são um pouco otimistas, ele também explica que a tecnologia necessária para permitir todo o processo já está em andamento. É o caso, por exemplo, daquela bizarra cobra-robô-carregador criada pela empresa para carregar seu carro sem precisar de trabalho humano: segundo ele, o carro “vai encontrar você onde quer que seu celular esteja... E ele vai apenas carregar a si mesmo automaticamente por toda a jornada. Ele vai se sincronizar com seu calendário para saber exatamente quando chegar”.

A má notícia é que, além dos dois anos de espera, Musk também avisa que não será possível usar essa tecnologia nos modelos atuais de carros produzidos por eles.

“Nós precisamos de mais sensores do que o carro atualmente tem para alcançar essa meta. Você precisa de um monte de redundâncias... Mais câmeras, mais radares, mais fontes de alimentação redundantes... Para que qualquer sistema possa falhar no carro e ele não precise do auxílio de um motorista”, explicou.

O que você acha dos modelos elétricos da Tesla? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: