Com uma maioria de 85%, os acionistas da Tesla, a maior fabricante de carros elétricos do mundo, aprovaram a aquisição da SolarCity, empresa líder na instalação de painéis solares para geração de eletricidade nos Estados Unidos. Ambas as empresas, além de terem como foco a utilização de meios sustentáveis de energia, possuem outro ponto em comum: Elon Musk.

O empreendedor na área de tecnologia e inventor é cofundador e CEO da Tesla e é creditado como autor da ideia por trás da SolarCity, fundada três anos após a Tesla por primos de Musk. Ele também faz parte do conselho da empresa especializada em painéis solares e se absteve nas votações entre os acionistas das duas companhias.

Carros elétricos e painéis solares trabalhando juntos pelo meio ambiente

Unindo ideias... e dívidas?

O movimento, apoiado majoritariamente pelos acionistas de ambas as empresas, vai reunir dois dos projetos de Elon Musk em um só. Porém, a ação é considerada arriscada por alguns especialistas dos mercados. Essa fusão, assim que concluída nos próximos dias, vai apresentar um débito conjunto de cerca de US$ 6 bilhões, aproximadamente R$ 20 bilhões.

Essa fusão, assim que concluída nos próximos dias, vai apresentar um débito conjunto de cerca de US$ 6 bilhões

Apesar disso, o mercado ficou animado com a aquisição – que custou à Tesla US$ 2,6 bilhões, cerca de R$ 8,8 bilhões – e apresentou uma alta de 2% nas ações. As previsões dos mais otimistas dentro das empresas contam com uma geração de US$ 500 milhões, aproximadamente R$ 1,7 bilhão, até o ano de 2020 pela fusão recém-criada.

Com seu sonho realizado, Elon Musk agora precisa provar que sua genialidade está acima do mercado para fazer com que essa união dê frutos à altura. O primeiro produto que deve brotar dessa fusão é a telha solar já apresentada por Musk em outubro, que reúne o que há de melhor nas duas companhias e parece um sonho para quem se preocupa com o meio ambiente.

Cupons de desconto TecMundo: