No início de julho, uma unidade do Model X se envolveu em um acidente da cidade de Montana quando o piloto automático do veículo falhou em detectar uma cerca de madeira. No entanto, uma resposta publicada pela Tesla no último domingo (24) dá a entender que não foi o veículo, mas sim o motorista, o responsável pelo ocorrido.

Embora a empresa reconheça que o sistema estava ligado no momento da colisão, ela implica que o motorista não estava com suas mãos sobre o volante. Segundo a companhia, a tecnologia exige toques periódicos na direção para confirmar que o motorista ainda está atento ao que está acontecendo.

O comunicado divulgado pela Tesla também aconselha que os consumidores não usem o piloto automático em vias de alta velocidade ou em pistas que não possuem divisões claras — caso do local em Montana onde houve o acidente. Segundo o motorista envolvido (identificado como Sr. Pang) afirmou em uma carta aberta, a fabricante emitiu suas conclusões sobre o acidente sem ouvi-lo e parece não estar interessada em entender os motivos pelos quais o carro o enviou em direção a uma barreira.

Já a montadora afirma ter contatado Pang após o acidente com o auxílio de um tradutor de mandarim para assegurar que ele e sua companhia estavam seguros. A Tesla afirma que, apesar da conversa inicial bem sucedida, ela não conseguiu falar com o consumidor posteriormente para discutir detalhes do acidente — algo que ela afirma estar tentando fazer até o momento atual.

Cupons de desconto TecMundo: